Violência contra a mulher é tema da Mátria deste ano

Publicado em Terça, 08 Março 2016 11:34

matria 2016 site cnte

A CNTE lança a 14ª edição da revista Mátria, com destaque para os 10 anos da lei Maria da Penha. Na reportagem de capa, depoimentos de vítimas de todas as regiões do País reforçam a importância de uma legislação específica para punir os agressores que estão dentro de casa. A matéria traz uma análise do impacto da violência no mundo do trabalho, informações sobre a 4ª Conferência de Políticas para as mulheres e uma reflexão sobre as reações machistas ao tema da redação do último Enem: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

De acordo com  Isis Tavares, secretária de relações de gênero da CNTE, a Mátria, como sempre, está cheia de temas para as pessoas debaterem não só na escola, mas na sociedade em geral. "Eu destacaria essa questão do ano do retrocesso que foi 2015, e a nossa luta, a luta das mulheres, a luta dos movimentos sociais pela democracia, sendo que as mulheres foram extremamente perseguidas, as nossas conquistas, todas, elas foram muito atacadas, tivemos alguns retrocessos, mas também tem uma coisa importante que é a lei maria da penha, os 10 anos da maria da penha, que é uma lei que pegou, independentemente de ter aumentado o número de casos, justamente por isso”, afirma.

Política também é assunto da nova Mátria, que aponta que esta é a legislatura do retrocesso de direitos, com um Parlamento conservador e a Igreja interferindo nas decisões políticas. Entretanto, revela que há mulheres lutando contra isso no Congresso Nacional – elas são parte da nossa baixa estatística de representação feminina no Senado e na Câmara dos Deputados, outra pauta deste ano.

E ainda: o Plano Nacional de Educação e a dificuldade de se aprovar uma política de gênero que combata a discriminação nas escolas e fora delas.  O PNE também é o conteúdo do encarte teórico desta edição. Em entrevista, a ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes, fala sobre o desafio de ampliar políticas para as mulheres, de igualdade racial e superação do racismo, de proteção das crianças e dos adolescentes e da promoção dos direitos humanos.

“A escola precisa debater gênero, independente de qualquer coisa, os números da violência precisam diminuir e a gente precisa cada vez mais formar cidadãos para uma sociedade que a gente quer, mais justa, mais humana, mais solidária, com uma país melhor pra todo mundo”, defende a secretária Isis Tavares.

A revista reúne exemplos internacionais de mulheres que estiveram no 7º Congresso Internacional da Educação, o maior encontro de educadores sindicalistas do mundo, realizado no Canadá, e dá detalhes sobre a primeira década da Rede de Trabalhadoras em Educação da Internacional da Educação da América Latina (IEAL), que busca, entre outras ações, garantir estratégias que acelerem o processo de paridade nos sindicatos de todo o mundo.

Outra reportagem fala da repercussão de campanhas difamatórias contra mulheres nas redes sociais e de peças publicitárias que incita, violência e pedofilia. Além disso, a realidade de mulheres presas; o trabalho de blogueiras negras na luta pelo fim do racismo e do sexismo; e mais um episódio da Ditadura também são registrados na Mátria, que destaca um livro com ilustrações femininas e feministas inspiradoras, bem como artigos assinados por especialistas sobre os principais temas da publicação e várias sugestões de material e de atividade para os educadores usarem em sala de aula, ajudando a desmistificar conceitos sobre as relações de gênero.

O presidente da CNTE, Roberto Leão, lembra a tradição da revista: "A Mátria já uma publicação tradicional da Confederação, que anualmente faz o lançamento dessa revista no mês da mulher, especificamente no dia 8 de março. É uma revista que traz o debate nas questões da mulher, que não são apenas da mulher, são questões da sociedade, porque a mulher ocupa espaço importantíssimo na sociedade e precisa ter esse espaço respeitado. Há muito que se avançar na defesa dos direitos da mulher, há muito que se avançar para impedir a violência que ainda existe em grande número contra a mulher e ainda há muito que se avançar no sentido de um Estado efetivamente oferecer as condições de proteger a mulher que quiser fazer as denúncias que devem ser feitas, quando ela sofre qualquer tipo de violência"

Leia a revista Mátria aqui!

 

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Por *Denor Ramos A ausência de placa no portão de entrada e duas faixas fixadas pelo grêmio estudantil nas grades sobre o muro trazendo as frases “Governador, reforma urgente! 10 anos de espera” e “O governo...
Por Helenir Aguiar Schürer (*) Nesta semana, São Lourenço do Sul se tornou a primeira cidade gaúcha a aprovar a Lei da Mordaça, com a roupagem de “Escola Sem Partido”. Caso o Executivo sancione a censura em...
Uma das principais bandeiras do governo Michel Temer, o novo teto para gastos públicos – instituído pela Emenda Constitucional 95, de dezembro de 2016 – é alvo de um “pacote” de sete ações de...
Em assembleia realizada pelo Sinteal nesta quarta-feira (18), trabalhadoras/es da educação da rede municipal de Maribondo decidiram recusar a proposta de reajuste apresentada pela prefeitura, a categoria reivindica que a proposta respeite...
O sétimo dia de greve dos trabalhadores em educação da rede municipal (17/07) começou vitorioso com uma assembleia bastante concorrida e participativa, onde a categoria avaliou a greve, dando destaque ao descaso do Executivo...
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE, entidade representativa de mais de 4 milhões de trabalhadores das escolas públicas brasileiras, vem a público REPUDIAR a...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Os servidores que foram contratados até 15 de março de 1987 e que mudaram de regime de celetistas para estatutários serão beneficiados pela transposição com a conversão da Medida Provisória 817 na...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.