Fórum Nacional Popular de Educação: uma nova trincheira de luta!

Publicado em Sexta, 09 Junho 2017 17:31

A decisão irrevogável do Ministério da Educação em destituir a atual gestão do Fórum Nacional de Educação (FNE) - instância instituída normativamente pela Portaria MEC nº 1.407/2010 e legalmente ratificada pelo art. 6º da Lei 13.005, que aprovou o Plano Nacional de Educação -, fez com que 20 entidades integrantes do Fórum e outras 12 apoiadoras assinassem, no último dia 7, o documento de renúncia coletiva das entidades progressistas que integravam o FNE, tendo sido imediatamente constituído o Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), encarregado de realizar as Conferências Populares de Educação.

As entidades que se retiraram do FNE e que passaram a formar o FNPE não aceitam que a instância, instituída para fomentar a gestão democrática na educação, se torne um apêndice submisso do MEC. Não é essa a finalidade do Fórum expressa na Lei 13.005, razão pela qual a CNTE e outras entidades nacionais do Fórum provocarão o Poder Judiciário para julgar os atos normativos do MEC e da Presidência da República, que destituíram a atual gestão FNE, alterando também autoritariamente a composição do colegiado e o calendário da Conae 2018.

A portaria MEC nº 577/2017, que revogou a de nº 1.407, e o Decreto de 26 de abril de 2017, que fere requisitos da Lei 13.005 (PNE), devem sofrer análise acurada da Justiça, podendo seus efeitos serem suspensos. Contudo, enquanto isso não ocorre, a sociedade civil organizará as Conferências Populares de Educação, à luz do seguinte calendário: entre julho e outubro de 2017: realização das Conferências Municipais Populares de Educação; entre novembro/2017 e março/2018: realização das Conferências Estaduais Populares de Educação; e em abril de 2018: Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE).

Paralelamente ao debate das Conferências Populares de Educação, a comunidade educacional brasileira e a sociedade civil organizada do campo progressista atuarão juntas no combate às políticas reacionárias e de desmonte da educação pública, entre as quais se destacam a implementação da reforma do ensino médio; a privatização escolar por meio de Organizações Sociais, a militarização de escolas públicas, a Lei da Mordaça (Escola sem Partido), a Emenda 95 (ajuste fiscal), além dos impactos da reforma trabalhista e da terceirização na organização dos sistemas de educação e na vida dos profissionais que atuam nas escolas públicas.

Muitos são os desafios impostos aos trabalhadores do Brasil, entre os quais se incluem os da educação, decorrentes da agenda do golpe parlamentar/jurídico/midiático que continua a ditar a (des)ordem no país. E é preciso resistir aos ataques sem precedentes na história contemporânea do Brasil, evitando que nossa sociedade retorne literalmente a patamares semi-escravocratas e sem esperança de futuro digno para a maioria da população que já trabalha de sol a sol.

 
 
  20/11/2017
Boletim CNTE 806
Dia 20 de novembro é Dia da Consciência Negra: por uma escola sem racismo!
INFORMATIVO CNTE 806  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 596: Campanha "Saber Amar é Saber Respeitar" estimula o combate à violência contra a mulher

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Os profissionais da Educação básica da rede municipal de Miracema do Tocantins aguardam publicação da concessão das progressões vertical e horizontal do magistério. O edital que dispõe...
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado aprovou, nesta quinta-feira (14), o relatório apresentado pela senadora Fátima Bezerra para manutenção do título de Patrono da...
Em tempos de golpe, o Brasil deve ficar sempre atento e vigilante com os ataques incessantes aos direitos sociais conquistados com muita luta ao longo dos anos. O debate legislativo no país deve ser acompanhado de forma permanente porque...
Profissionais das redes públicas municipais e estaduais de ensino discutem em Brasília os precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef), com vigência entre 1997 e 2006, cujo...
A Delegacia Sindical do Planalto da APLB em Cruz das Almas sediou, na terça (12), na Câmara Municipal de Cruz das Almas, uma reunião extraordinária da regional Serrana. O encontro com diretores de núcleos e delegacias...
O dia 14 de dezembro de 2017 representa uma importante vitória dos/as educadores/as brasileiros/as e de todos/as aqueles/as que lutam por uma educação emancipadora. A Comissão de Direitos Humanos e Legislação...
Desde outubro, o programa de entrevistas Canal Livre, da TV Bandeirantes, faz sabatinas com possíveis presidenciáveis. Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Álvaro Dias e Manuela D'Ávila estiveram na bancada e falaram sobre seus...
Na manhã desta quinta-feira (14/12), a secretária de finanças da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e diretora financeira do Sindicato dos Professores do Distrito Federal...
A importância de se garantir a continuidade do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) ultrapassou as...
O que era para ser uma ferramenta importante para diminuir o trabalho burocrático do/a professor/a, melhorando suas condições de trabalho e otimizando o tempo para que pudesse se dedicar às questões pedagógicas...
Inaceitável a truculência da repressão policial contra professores, estudantes e outros segmentos sociais que se manifestavam nesta terça-feira, 12/12, na Câmara Municipal de São Paulo, contra o projeto que tem...
Trabalhadores em Educação da rede municipal de Presidente Kennedy realizaram protestos durante sessão na Câmara de Vereadores, na segunda-feira (11/12), contra o projeto de lei (PL N° 009 de 06/11/2017) de autoria do...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.