Ao privatizar a educação, os cidadãos viram clientes

Publicado em Quinta, 22 Junho 2017 08:19

Realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores (CNTE), em parceria com a Universidade de Brasília (UNB), a pesquisa apresenta quatro relatórios feitos com base em dados de 2009 a 2013 e que investigam, entre outros dados, o número de matrículas realizadas na educação pública e privada no período.

De maneira geral, o estudo reconhece que as matrículas na educação básica apresentaram tendência de queda no período considerado. De 2009 para 2013, houve uma redução de 4,8% em matrículas, passando de 52,5 milhões de estudantes para 50 milhões. Esse comportamento, no entanto, mostra-se antagônico quando considerada a educação pública (federal, estadual e municipal) e a privada.

Segundo os dados apresentados, enquanto a rede estadual apresentou queda de 2,8 milhões de matrículas (-1,6%) e a municipal 1,1 milhão (-4,5%), a privada teve 1,3 milhão de matrículas a mais (+17,8%).

Outro recorte se dá em relação às dependências públicas e privadas. Enquanto a rede estadual registrou redução de 1546 estabelecimentos (-4,7%), a e municipal fechou outros 8565 estabelecimentos (-6,6%), a federal apresentou crescimento de 212 e a privada de novos 3137 estabelecimentos de educação (+8,8%).

O comportamento também foi avaliado por regiões e estados, com verificação de resultados distintos. As rede estaduais que apresentaram maiores quedas foram as do Maranhão (-22%), Piauí (-19%) e Paraíba (-24%).

De acordo com a pesquisa, os dados coletados confirmam, preliminarmente, o avanço da mercantilização e privatização na educação básica do país, sendo a mercantilização entendida como o ato de transformar, no âmbito do capitalismo, tudo que for possível em bens ou serviços a serem comprados, sob regulação da lógica do mercado privado, e a privatização a aquisição ou incorporação de uma companhia ou empresa pública por uma privada.

Outras considerações

A pesquisa parte do consenso de que a melhor maneira do Estado assegurar o direito à educação é por meio de políticas públicas. Também entende que a privatização nunca alcança a universalidade que os direitos sociais necessitam. No entanto, reconhece que alguns países têm optado por oferecer a educação em complementação ao mercado ou de forma mista. E que, portanto, a tendência de mercantilização vem tomando forma e força nos últimos anos.

De acordo com o estudo, o mercado financeiro e do capital promove uma transformação de direitos sociais. “Com isso, os cidadãos deixam de ser portadores de direitos para tornarem-se ‘clientes’ de ‘novas formas’ de ofertar serviços no campo da educação. Esta lógica é entendida como contraditória, posto que o mercado não é capaz de gerar igualdades.

A CNTE entende que os resultados obtidos pela pesquisa são “dignos da preocupação de todos que lutam por uma educação pública, gratuita, de boa qualidade e socialmente referenciada”.

Segundo a Confederação, a pesquisa evidenciou que as ações privatistas contaminam as políticas públicas de gestão da educação pública em todos os níveis (federal, estaduais e municipais); e que devem ser respondidas por ações urgentes e necessárias, capazes de dar respostas diretas à política de privatização em curso no Brasil.

(Carta Educação, 21/06/2017)

 
 
  20/11/2017
Boletim CNTE 806
Dia 20 de novembro é Dia da Consciência Negra: por uma escola sem racismo!
INFORMATIVO CNTE 806  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 596: Campanha "Saber Amar é Saber Respeitar" estimula o combate à violência contra a mulher

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
A Delegacia Sindical do Planalto da APLB em Cruz das Almas sediou, na terça (12), na Câmara Municipal de Cruz das Almas, uma reunião extraordinária da regional Serrana. O encontro com diretores de núcleos e delegacias...
O dia 14 de dezembro de 2017 representa uma importante vitória dos/as educadores/as brasileiros/as e de todos/as aqueles/as que lutam por uma educação emancipadora. A Comissão de Direitos Humanos e Legislação...
Desde outubro, o programa de entrevistas Canal Livre, da TV Bandeirantes, faz sabatinas com possíveis presidenciáveis. Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Álvaro Dias e Manuela D'Ávila estiveram na bancada e falaram sobre seus...
Na manhã desta quinta-feira (14/12), a secretária de finanças da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e diretora financeira do Sindicato dos Professores do Distrito Federal...
A importância de se garantir a continuidade do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb) ultrapassou as...
O que era para ser uma ferramenta importante para diminuir o trabalho burocrático do/a professor/a, melhorando suas condições de trabalho e otimizando o tempo para que pudesse se dedicar às questões pedagógicas...
Inaceitável a truculência da repressão policial contra professores, estudantes e outros segmentos sociais que se manifestavam nesta terça-feira, 12/12, na Câmara Municipal de São Paulo, contra o projeto que tem...
Trabalhadores em Educação da rede municipal de Presidente Kennedy realizaram protestos durante sessão na Câmara de Vereadores, na segunda-feira (11/12), contra o projeto de lei (PL N° 009 de 06/11/2017) de autoria do...
Durante a Cumbre de Los Pueblos, que acontece paralelamente à 11ª Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), em Buenos Aires (Argentina), o secretário de relações...
Foi divulgado pelo Governo do Estado, nesta segunda-feira, 11/12, que será enviado projeto de lei para a Assembleia Legislativa em caráter de urgência para a redução da “duzentena” (180 dias) para 40...
Reunidos em São Paulo dias 9 e 10 de dezembro na II Conferência Nacional da Frente Brasil Popular, 350 militantes oriundos de diversos espaços organizativos debateram a crise brasileira e atualizaram as tarefas políticas das...
A terceira região de Alagoas a receber a Caravana do Sinteal é a de Delmiro Gouveia. Com o objetivo de correr Alagoas e visitar todas as cidades-sedes de seus núcleos regionais, o Sinteal está realizando, desde outubro de...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.