Brasil completa 20 anos sem avanço no ensino médio

Publicado em Sexta, 31 Agosto 2018 11:51

1535681541927

Foto: Diego Herculano / Estadão

Em 20 anos, alunos de escolas públicas e privadas de ensino médio do País não melhoraram em nada sua aprendizagem em Português e Matemática. A nota dos estudantes em 2017 no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), exame oficial cujos dados foram divulgados nesta quinta-feira, 30, é mais baixa do que a registrada em 1997. A rede particular caiu menos, mas também piorou ao longo dessas duas décadas.

Sem melhora

Em 20 anos, aumenta desigualdade entre rede pública e privada

EvolucaoWEB col 3

“Os alunos sabem menos agora do que sabiam em 1997. O ensino médio não está agregando nada a eles”, afirmou ao Estado o ministro da Educação, Rossieli Soares. O ensino médio é considerado a etapa mais crítica da educação brasileira. O governo Michel Temer aprovou, no ano passado, uma reforma, que flexibiliza o currículo dessa etapa e cria múltiplos percursos acadêmicos para esses jovens. Por dificuldades na implementação da proposta e reação negativa de parte da comunidade escolar, alguns candidatos à Presidência têm defendido revogar a mudança. O ensino médio tem cerca de 7,9 milhões de matrículas – cerca de 88% na rede pública.

Os resultados mostram que sete em cada dez estudantes do ensino médio tiveram desempenho insuficiente nas duas disciplinas. Isso significa que os jovens, na maioria entre 14 e 17 anos, não conseguem identificar informações explícitas em uma receita culinária ou calcular um porcentual. Em Português, a média em 20 anos foi de 284 pontos para 268 pontos (em uma escala de zero a 500). Já em Matemática, o recuo foi de 289 pontos para 270 pontos. E, em todo o período, as oscilações de resultado nunca ultrapassaram o desempenho de 1997. Além disso, a distância entre a rede particular e a pública aumentou.

Segundo especialistas, o mais preocupante é que o ensino fundamental vem melhorando desde o início dos anos 2000, mas isso não se reflete no médio. Atualmente, os alunos de 1.º ao 5.º ano têm o melhor desempenho, com cerca de 25% no nível avançado de ensino. “Acreditávamos que esses alunos iriam começar a avançar e chegar ao médio, e tudo melhoraria como uma onda, mas não aconteceu. A hipótese mais pessimista é a de que todo o ganho do 5.º ano está sendo perdido”, diz o professor da Universidade de São Paulo (USP) e ex-presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes.

Para ele, uma explicação mais otimista pode ser a de que, no passado, os piores alunos abandonavam a escola antes de chegar ao ensino médio. Hoje, há mais jovens estudando, mesmo com desempenho ruim. O Brasil conseguiu nos anos 1990 e 2000 uma grande inclusão de alunos na escola, impulsionada por políticas de financiamento público atreladas à matrícula.

Situação das escolas particulares

Mesmo entre os alunos de escola privada, os resultados do Saeb mostram problemas. Só 7,83% dos alunos de 17 anos das particulares do País estão no nível considerado avançado de Português. Apenas esse pequeno grupo, por exemplo, consegue entender perfeitamente expressões de humor em contos, crônicas e artigos. Em Matemática, as notas são um pouco melhores e a quantidade de adolescentes com boa aprendizagem é de 23,72%. O jovem com esse desempenho é capaz, por exemplo, de resolver problemas de probabilidade.

Pela primeira vez, a rede privada pôde se voluntariar para participar do exame, a mais importante avaliação brasileira. Até então, o governo selecionava esses colégios por amostragem. O MEC, no entanto, não informou quantas nem quais escolas particulares fizeram o Saeb no ano passado.

A prova mede a aprendizagem dos alunos do 5.º ano e do 9.º ano do fundamental e do 3.º do médio, desde 1995, nas escolas públicas. Cerca de 5,46 milhões de alunos do fundamental e do médio participaram.

“O problema é que os professores da rede privada e da pública receberam a mesma formação na faculdade, muito centrada nos pilares da educação e não na prática profissional”, diz a diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (FGV), Claudia Costin.

Para o superintendente do Instituto Unibanco, Ricardo Henriques, o Brasil precisa definir, de fato, a educação como prioridade. “Podemos caminhar para uma situação em que jovens ficarão em um limbo, porque terminam a escola sem capacidade cognitiva e socioemocional.”

Negação. Presidente da Federação Nacional de Escolas Particulares (Fenep), Ademar Pereira não considera o resultado representativo da rede. “No Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), vale nota para o aluno entrar na faculdade e o resultado é mais fidedigno”, afirma. “Também não sabemos qual é essa amostra de escolas que participa da avaliação.”

Ideb só deve sair na semana que vem

Os resultados do Saeb são usados no cálculo do Índice do Desempenho da Educação Básica (Ideb), o mais importante indicador de qualidade do País. Pela 1ª vez, o MEC resolveu este ano não divulgar Saeb e Ideb conjuntamente. Os resultados do índice, segundo o governo, devem ser apresentados na segunda-feira.

A justificativa do ministro Rossieli Soares foi a de que queria estimular o debate sobre aprendizagem, uma vez que o Saeb é a prova de Português e Matemática. Já o Ideb considera, além das notas, índices de aprovação.

(Portal Estadão, 30/08/2018)

 
 
  10/12/2018
Boletim CNTE 824
É urgente que as entidades educacionais se manifestem contra a aprovação sorrateira da nova BNCC do Ensino Médio
INFORMATIVO CNTE 824  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 606 - Vitória: projeto "Escola Sem Partido" é arquivado

 
 

Parlamentares, educadores/as, estudantes e sociedade derrotam o projeto da Lei da Mordaça na Câmara dos Deputados: uma vitória da resistência!

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
O Sinteal abriu suas portas, na tarde desta quinta-feira (13/12), para receber centenas de crianças (e familiares) do bairro do Mutange (e entorno), que participaram do já tradicional “Auto de Natal”, que teve...
A prefeita de Guaraí, Lires Ferneda (PSDB) se nega a responder onde foi parar o saldo dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), referente ao ano de 2017. Segundo...
Eleita, nesta quarta-feira (12.12), a nova gestão do Conselho Estadual Alimentação Escolar para mandato 2018 a 2022. Ao todo 28 membros, entre titulares e suplentes, representando quatro segmentos da sociedade (Poder Executivo,...
O Sind-UTE/MG – Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, vem a público, repudiar a decisão do Governo do Estado, em dar tratamento diferenciado para o pagamento de salários a...
Em contato que manteve nesta quarta-feira, 12/12, com o Chefe de Gabinete da Secretaria Estadual da Educação, a Presidenta da APEOESP, Maria Izabel Azevedo Noronha - Professora Bebel*, obteve a realização de uma...
Professora BebelPresidenta da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de SP)Deputada Estadual eleita O arquivamento da tramitação do projeto da “escola sem partido” na comissão especial da Câmara dos...
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado A Comissão de Educação do Senado Federal iniciou hoje a discussão do PLC 88/2018 (oriundo do PL 1.287/11, da Câmara dos Deputados), que estabelece diretrizes para a...
“Eu sou aquela mulher  a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida E não desistir da luta, recomeçar na derrota, renunciar a palavras e pensamentos negativos. Acreditar nos valores humanos e ser otimista.” Cora...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais da educação básica pública brasileira, vem a público exigir...
A defesa dos direitos dos trabalhadores deverá enfrentar muitas dificuldades no cenário político que se aproxima, em 2019. A análise é da Secretária de Finanças da CNTE - Confederação...
Nesta segunda-feira (10/12), a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promoveu um debate em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, instituída...
Texto e fotos: Jordana Mercado Após dois dias (06 e 07) de debates e reflexão, encerrou-se hoje, em Curitiba-PR, o encontro do Coletivo de Mulheres da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.