TO: Amastha não cansa de massacrar os professores de Palmas

Publicado em Sexta, 24 Novembro 2017 17:26

banners giro pelos estados 2

O prefeito de Palmas e pré-candidato a governador do Tocantins, Carlos Amastha, em entrevista coletiva realizada no dia 11 de outubro, informou que iria realizar o pagamento dos professores até o dia 20 de outubro referente aos 10 dias que foram cortados indevidamente pela adesão à greve, no entanto, o dinheiro nunca foi repassado para os profissionais da educação após um mês desde o anunciado.

Na ocasião, o prefeito afirmou aos jornalistas o seu “respeito com o funcionalismo de Palmas”, o que diante dessa atitude demonstra o contrário, o total descaso com a classe educadora do município, sem deixar de mencionar que alguns educadores chegaram a receber centavos no contracheque por conta do corte de ponto.

Diante à imprensa, vários compromissos foram firmados com a educação, porém, nenhuma resposta oficial nunca chegou às mãos do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (SINTET), uma vez que, o sindicato tentou antes, durante e após a greve a abertura de uma mesa de negociação, e foi preciso a interferência da Justiça para criar uma ponte onde o diálogo poderia ter resolvido toda a situação desde o início.

Apesar de todos os “calotes” sofridos, os educadores priorizaram o direito dos alunos de ter acesso a todo conteúdo programático, desta forma, vários profissionais da educação já estão repondo as aulas, porém, o pagamento das reposições não foi devolvido aos trabalhadores (as) como foi firmado pelo próprio gestor. Além disso, o prefeito tem dificultado para os educadores que querem repor por meio de diversos obstáculos. Diante deste atual cenário em termos de “negociação”, os trabalhadores estão desmotivados com tanto desacato à categoria, porém, não deixando de cumprir o seu papel.

Além da questão do corte de ponto e reposição, outros pontos têm preocupado a categoria que já está cansada de tantos acordos sem cumprimento. Em relação à data-base, a gestão disse que vai pagar até dezembro deste ano, porém os trabalhadores que receberam alguma parcela, foram aqueles que ganham até R$ 1500,00, e o restante não recebeu nada. Sobre as progressões e titularidades, as mesmas foram divididas em 24 vezes ainda em 2015, no entanto, a gestão pagou apenas três parcelas e ainda desatualizadas com salário correspondente a 2013. Já sobre a questão da eleição para diretor de escola, a gestão afirmou que seria realizada ainda este ano, porém, não existe nenhuma ação concreta.

A saída utilizada pelos trabalhadores tem sido o cumprimento do compromisso com a comunidade escolar, levando em consideração que a mesma apoiou a greve dos profissionais de todas as formas. A categoria agora aguarda que os seus direitos sejam garantidos com a mesma eficiência e compromisso que são primordiais na imagem que o prefeito Carlos Amastha demonstra diante à imprensa e redes sociais.
O Sintet enfatiza ainda que entrou com as seguintes ações jurídicas para resguardar os direitos dos trabalhadores:

- Ação de legalidade da greve;

- Mandado de segurança contra os descontos de finais de semana e feriados;

- Será impetrado mandado de segurança para restabelecer os pontos cortados;

(SINTET, 24/11/2017)

 
 
  10/12/2018
Boletim CNTE 824
É urgente que as entidades educacionais se manifestem contra a aprovação sorrateira da nova BNCC do Ensino Médio
INFORMATIVO CNTE 824  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 606 - Vitória: projeto "Escola Sem Partido" é arquivado

 
 

Parlamentares, educadores/as, estudantes e sociedade derrotam o projeto da Lei da Mordaça na Câmara dos Deputados: uma vitória da resistência!

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
O Sinteal abriu suas portas, na tarde desta quinta-feira (13/12), para receber centenas de crianças (e familiares) do bairro do Mutange (e entorno), que participaram do já tradicional “Auto de Natal”, que teve...
A prefeita de Guaraí, Lires Ferneda (PSDB) se nega a responder onde foi parar o saldo dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), referente ao ano de 2017. Segundo...
Eleita, nesta quarta-feira (12.12), a nova gestão do Conselho Estadual Alimentação Escolar para mandato 2018 a 2022. Ao todo 28 membros, entre titulares e suplentes, representando quatro segmentos da sociedade (Poder Executivo,...
O Sind-UTE/MG – Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, vem a público, repudiar a decisão do Governo do Estado, em dar tratamento diferenciado para o pagamento de salários a...
Em contato que manteve nesta quarta-feira, 12/12, com o Chefe de Gabinete da Secretaria Estadual da Educação, a Presidenta da APEOESP, Maria Izabel Azevedo Noronha - Professora Bebel*, obteve a realização de uma...
Professora BebelPresidenta da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de SP)Deputada Estadual eleita O arquivamento da tramitação do projeto da “escola sem partido” na comissão especial da Câmara dos...
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado A Comissão de Educação do Senado Federal iniciou hoje a discussão do PLC 88/2018 (oriundo do PL 1.287/11, da Câmara dos Deputados), que estabelece diretrizes para a...
“Eu sou aquela mulher  a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida E não desistir da luta, recomeçar na derrota, renunciar a palavras e pensamentos negativos. Acreditar nos valores humanos e ser otimista.” Cora...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais da educação básica pública brasileira, vem a público exigir...
A defesa dos direitos dos trabalhadores deverá enfrentar muitas dificuldades no cenário político que se aproxima, em 2019. A análise é da Secretária de Finanças da CNTE - Confederação...
Nesta segunda-feira (10/12), a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promoveu um debate em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, instituída...
Texto e fotos: Jordana Mercado Após dois dias (06 e 07) de debates e reflexão, encerrou-se hoje, em Curitiba-PR, o encontro do Coletivo de Mulheres da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.