TO: Amastha não cansa de massacrar os professores de Palmas

Publicado em Sexta, 24 Novembro 2017 17:26

banners giro pelos estados 2

O prefeito de Palmas e pré-candidato a governador do Tocantins, Carlos Amastha, em entrevista coletiva realizada no dia 11 de outubro, informou que iria realizar o pagamento dos professores até o dia 20 de outubro referente aos 10 dias que foram cortados indevidamente pela adesão à greve, no entanto, o dinheiro nunca foi repassado para os profissionais da educação após um mês desde o anunciado.

Na ocasião, o prefeito afirmou aos jornalistas o seu “respeito com o funcionalismo de Palmas”, o que diante dessa atitude demonstra o contrário, o total descaso com a classe educadora do município, sem deixar de mencionar que alguns educadores chegaram a receber centavos no contracheque por conta do corte de ponto.

Diante à imprensa, vários compromissos foram firmados com a educação, porém, nenhuma resposta oficial nunca chegou às mãos do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (SINTET), uma vez que, o sindicato tentou antes, durante e após a greve a abertura de uma mesa de negociação, e foi preciso a interferência da Justiça para criar uma ponte onde o diálogo poderia ter resolvido toda a situação desde o início.

Apesar de todos os “calotes” sofridos, os educadores priorizaram o direito dos alunos de ter acesso a todo conteúdo programático, desta forma, vários profissionais da educação já estão repondo as aulas, porém, o pagamento das reposições não foi devolvido aos trabalhadores (as) como foi firmado pelo próprio gestor. Além disso, o prefeito tem dificultado para os educadores que querem repor por meio de diversos obstáculos. Diante deste atual cenário em termos de “negociação”, os trabalhadores estão desmotivados com tanto desacato à categoria, porém, não deixando de cumprir o seu papel.

Além da questão do corte de ponto e reposição, outros pontos têm preocupado a categoria que já está cansada de tantos acordos sem cumprimento. Em relação à data-base, a gestão disse que vai pagar até dezembro deste ano, porém os trabalhadores que receberam alguma parcela, foram aqueles que ganham até R$ 1500,00, e o restante não recebeu nada. Sobre as progressões e titularidades, as mesmas foram divididas em 24 vezes ainda em 2015, no entanto, a gestão pagou apenas três parcelas e ainda desatualizadas com salário correspondente a 2013. Já sobre a questão da eleição para diretor de escola, a gestão afirmou que seria realizada ainda este ano, porém, não existe nenhuma ação concreta.

A saída utilizada pelos trabalhadores tem sido o cumprimento do compromisso com a comunidade escolar, levando em consideração que a mesma apoiou a greve dos profissionais de todas as formas. A categoria agora aguarda que os seus direitos sejam garantidos com a mesma eficiência e compromisso que são primordiais na imagem que o prefeito Carlos Amastha demonstra diante à imprensa e redes sociais.
O Sintet enfatiza ainda que entrou com as seguintes ações jurídicas para resguardar os direitos dos trabalhadores:

- Ação de legalidade da greve;

- Mandado de segurança contra os descontos de finais de semana e feriados;

- Será impetrado mandado de segurança para restabelecer os pontos cortados;

(SINTET, 24/11/2017)

 
 
  02/02/2018
Boletim CNTE 811
Preparação e a realização das Conferências Populares de Educação
INFORMATIVO CNTE 811  
 
 
INSTITUCIONAL CNTE | Resistência e Convocação para a Conape 2018 (01/12/2017)
 
 

Programa 597: CNTE faz balanço das lutas de 2017

 
 

Nota Pública: Paulo Freire continua sendo o patrono da educação brasileira

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Se a proposta discutida na assembleia dos trabalhadores em educação no último dia 19/02, foi considerada ruim, o pior ainda estar por vir. O governo do estado encaminhou, no final da tarde do dia 19/02, a proposta apresentada por...
A Associação de Moradores da Comunidade de Novo Horizonte, localizada em Barra de Jangada irá realizar no próximo dia 26 de fevereiro, às 15h, um Ato de Resistência Contra o Feminicídio e o ponto de...
Em reunião realizada entre o Sinteal e o Secretário Municipal de Educação de Chã Preta, na última quarta-feira (21), durante a caravana do Sinteal na região de Viçosa, a presidenta Consuelo...
Diretoras/es do Sinteal fecharam, na tarde desta quinta-feira (22/2), na Regional Viçosa, as atividades de organização e luta das/os trabalhadoras/es em educação, na 4ª etapa da “Caravana do Sinteal: porque...
Por Aloizio Mercadante A decisão do ministro da Educação, Mendonça Filho, do governo golpista de Michel Temer, de acionar órgãos de controle para que seja analisada a legalidade do curso “o golpe de 2016...
Por Rosilene Corrêa* A luta por educação pública, de qualidade e democrática está nas raízes da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE. Nascida como...
Retomando as ações de luta das “Caravanas do Sinteal: porque a luta não para!” em 2018, a região de Viçosa recebe a equipe completa do Sinteal nesta quarta-feira (21). Visita às escolas de nove...
O primeiro dia da greve dos trabalhadores em educação estaduais de Rondônia atingiu todo o Estado e foi considerado um sucesso pela diretoria do Sintero. Um levantamento feito durante o dia constatou que existe greve em todos os...
A partir desta quarta-feira (21/02), as aulas estarão suspensas nas escolas estaduais. Isso porque os trabalhadores em educação se reuniram em assembleia na quinta-feira, dia 15/02, e decidiram entrar em greve por tempo...
A falta da certidão que atesta o tempo de atividade escolar tem atrasado a aposentadoria de alguns professores (as) da rede pública estadual no Tocantins. De acordo a assessoria jurídica do Sindicato dos Trabalhadores em...
Em assembleia realizada com a base municipal de Maceió, nesta terça-feira (20/2), o Sinteal foi informado que a Secretaria Municipal de Educação de Maceió (Semed) vem determinando a elaboração do...
Nesta segunda-feira (19/2), o SINTEGO marcou presença em um grande Ato contra a Reforma da Previdência do governo golpista de Michel Temer, em Goiânia. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás –...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.