MT: Governo Taques “corta” refeições nas escolas estaduais

Publicado em Terça, 03 Abril 2018 11:36

banners giro pelos estados 2

Educadores das escolas estaduais acusam o governo Taques de cortar a quantidade de merenda ofertada nas escolas públicas, colocando em risco a alimentação escolar dos mais de 350 mil estudantes matriculados no estado. A denúncia feita pela subsede do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), em Várzea Grande, parte de gestores e dos técnicos da alimentação escolar (antigas merendeiras), que registram cortes na aquisição de produtos alimentares e redução dos recursos para o atendimento dos alunos matriculados, em 2018.

Para o Sintep esse é mais um golpe na gestão democrática das escolas. A secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) passa a definir unilateralmente quais os cardápios devem ser oferecidos e a quantidade de comida que pode ser comprada. O resultado são situações como a que relata uma técnica de alimentação escolar na Várzea Grande, que prefere não se identificar. “A escola que atuo tem cerca de 400 alunos por turno e a maioria faz as refeições. Dos oito quilos de arroz que comprávamos por semana, a Seduc cortou para cinco”.

Segundo a secretária de Formação Sindical da subsede de Várzea Grande, Vânia Maria Rodrigues Miranda, no Ceja Licínio Monteiro, também na VG, até o vinagre utilizado para a higienizar verduras foi cortado. “Das duas embalagens que usavam por semana, agora terão direito a cinco para o ano”, diz.

Vânia que acompanha a Câmara de Alimentação Escolar de Várzea Grande, destaca que o corte da merenda é resultado da falta de compromisso do governo Taques com a Educação. “O governo federal faz dez repasses anuais para a merenda, por volta do dia 5 de cada mês. A Seduc deveria fazer e não faz, o mesmo número de complementações. Além disso, demora cerca de 20 dias com o dinheiro em caixa, antes de repassar para escolas”, revela.

A vice-presidente do Sintep/VG, Leiliane Cristina Borges, que é professora da rede estadual, não se conforma com a falta de comunicação interna da Seduc. Todo os anos, segundo ela, as escolas são obrigadas a repassar o número de alunos para que ocorra a complementação dos recursos, já que o dinheiro federal chega com base nas matrículas do ano anterior. “Esses valores são atualizados só no segundo semestre, e não são retroativos, ou seja, o gasto anterior não é reposto, nem mesmo pela Seduc. E mais, se é Seduc que controla o número de matrículas de cada escola, como eles não têm a informação”, questiona a incoerência.

O descaso do governo exige que a gestão da escola faça malabarismos para garantir o direito dos estudantes. Quando não é possível, o aluno acaba prejudicado, ficam sem alimentos ou sem aula. A falta da comida faz com que os gestores dispense as turmas mais cedo, como ocorreu em Várzea Grande no início do ano. “Fevereiro iniciaram as aulas, mas os recursos chegam em março e o governo do Taques não faz complementação”, argumenta Leiliane.

Para Anadelma Borges, também da direção do Sintep/VG, que acompanha o Conselho de Alimentação Escolar, o atraso dos repasses vem provocando transtornos nas escolas, porque sem dinheiro os gestores são obrigados a comprar “fiado”, o que provoca um aumento de nos custos. "A situação se agravou no governo Pedro Taques quando se instalou na Seduc uma prática de não enviar o último repasse para as escolas. Com a história de enviar no outro ano, o governo tem “economizado” as custas dos estudantes", afirma.

(Sintep/MT, 03/04/2018)

 
 
  10/12/2018
Boletim CNTE 824
É urgente que as entidades educacionais se manifestem contra a aprovação sorrateira da nova BNCC do Ensino Médio
INFORMATIVO CNTE 824  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 606 - Vitória: projeto "Escola Sem Partido" é arquivado

 
 

Parlamentares, educadores/as, estudantes e sociedade derrotam o projeto da Lei da Mordaça na Câmara dos Deputados: uma vitória da resistência!

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
No último dia 13 foi lançada, na cidade de São Luís do Maranhão, a Frente Norte de Nordeste de luta em defesa da educação e da subvinculação dos recursos dos precatórios do Fundef...
Os profissionais da rede municipal de Educação de Miracema do Tocantins decidiram paralisar as atividades nesta terça-feira, 18, em protesto contra a prefeitura pelo não cumprimento da pauta de reivindicações...
Vivemos uma conjuntura de retrocessos em escala mundial. No Brasil, este processo foi acelerado com a eleição fraudulenta de Jair Bolsonaro, pois durante o processo eleitoral houve abuso do poder econômico, que não foi nem...
O Sinteal abriu suas portas, na tarde desta quinta-feira (13/12), para receber centenas de crianças (e familiares) do bairro do Mutange (e entorno), que participaram do já tradicional “Auto de Natal”, que teve...
A prefeita de Guaraí, Lires Ferneda (PSDB) se nega a responder onde foi parar o saldo dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), referente ao ano de 2017. Segundo...
Eleita, nesta quarta-feira (12.12), a nova gestão do Conselho Estadual Alimentação Escolar para mandato 2018 a 2022. Ao todo 28 membros, entre titulares e suplentes, representando quatro segmentos da sociedade (Poder Executivo,...
O Sind-UTE/MG – Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais, vem a público, repudiar a decisão do Governo do Estado, em dar tratamento diferenciado para o pagamento de salários a...
Em contato que manteve nesta quarta-feira, 12/12, com o Chefe de Gabinete da Secretaria Estadual da Educação, a Presidenta da APEOESP, Maria Izabel Azevedo Noronha - Professora Bebel*, obteve a realização de uma...
Professora BebelPresidenta da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de SP)Deputada Estadual eleita O arquivamento da tramitação do projeto da “escola sem partido” na comissão especial da Câmara dos...
Vitória da resistência do setor educacional brasileiro: os parlamentares da oposição derrotaram o projeto denominado “Escola sem Partido”. A CNTE sempre esteve presente nas audiências públicas,...
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado A Comissão de Educação do Senado Federal iniciou hoje a discussão do PLC 88/2018 (oriundo do PL 1.287/11, da Câmara dos Deputados), que estabelece diretrizes para a...
“Eu sou aquela mulher  a quem o tempo muito ensinou. Ensinou a amar a vida E não desistir da luta, recomeçar na derrota, renunciar a palavras e pensamentos negativos. Acreditar nos valores humanos e ser otimista.” Cora...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.