TO: Educadores de Pium protestam contra autoritarismo e redução de salários

Publicado em Quarta, 09 Maio 2018 14:33

banners giro pelos estados 2

Educadores da rede municipal de Pium, localizado a 130 km Palmas, realizaram na última segunda, 7, um ato público pelas principais ruas da cidade em protesto contra o autoritarismo do atual prefeito de Pium, Valdemir Barros (PSDB) e pela defesa e valorização da categoria. O ato seguiu até a câmara de vereadores.

Os profissionais foram às ruas denunciar os problemas enfrentados pela categoria, dentre eles a redução de salários. Na ocasião, o secretário de assuntos municipais do Sintet, Joelson Pereira usou a tribuna da câmara de vereadores de Pium para denunciar à sociedade piuense as maldades do gestor.

A categoria reivindica o fim da redução dos salários; data-base conforme o índice do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN); Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) construído com a participação dos educadores; reposição de todos os prejuízos oriundos da redução salarial; fim dos contratos desnecessários na educação; melhorias das condições de trabalho e das escolas; respeito à categoria; respeito com as pessoas em remanejo de função devido ao estado de saúde e gestão democrática dentro do âmbito da secretaria de educação.

O vice-presidente do Sintet, Iata Anderson Vilarinho e a secretária da regional de Paraíso, Fábia Gil participaram da manifestação.

No ato manifestantes pediram apoio da sociedade contra o autoritarismo do prefeito. Também foi distribuído uma Carta Aberta à comunidade explicando a situação vivenciada pelos trabalhadores da educação municipal.

Confira a carta na íntegra:

CARTA ABERTA À COMUNIDADE DE PIUM-TO

Os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação de Pium vêm a público manifestar indignação e revolta com a falta de compromisso e o descaso do prefeito, Valdemir Barros (PSDB) para com a nossa categoria.

Vale ressaltar, que a valorização profissional fazia parte das prioridades nos discursos do então candidato Valdemir Barros (PSDB). No entanto, quase dois anos se passaram e não há qualquer sinal de que o nosso Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) seja reconhecido. Ao contrário disso, o que se vê é uma administração cada vez mais calcada no AUTORITARISMO, NAS PERSEGUIÇÕES, NA TOTAL FALTA DE TRANAPARÊNCIAS e DISTANTE das reais necessidades da educação do nosso município.

Como se não bastasse A CRUEL REDUÇÃO SALARIAL que sofremos esse ano, o prefeito Valdemir Barros (PSDB) se utiliza das velhas práticas de enrolação e deixar o tempo passar. Sem fazer nenhum esforço a mais, ainda fechou as portas da prefeitura para as necessidades dos educadores e da educação. Contudo, além de defasar ainda mais nossos salários, ainda nos massacra com sua arrogância, seu autoritarismo e suas perseguições.

Nesse sentido, alertamos para algumas consequências desse nefasto abandono da educação, por parte do prefeito. São elas:

1. Falta de estímulo para atrair novos profissionais;

2. Escolas sem condições DIGNAS para desenvolver o processo de ensino e aprendizagem;

3. Categoria cada vez mais desvalorizada, mal remunerada, insatisfeita e ADOECIDA;

4. População carente de escolas públicas e ensino de qualidade.

Com isso, os profissionais da educação estão no limite de suas capacidades físicas e psicológicas, resultado de um profundo desgaste após décadas de dedicação sem reconhecimento. Muitos estão adoecendo ou chegando à aposentadoria sem nenhuma perspectiva de renovação desse PERVERSO CENÁRIO.

Por fim, os profissionais em educação não vão suportar mais promessas não cumpridas e nem o autoritarismo arrogante do atual prefeito Valdemir Barros (PSDB). E é por isso, que os profissionais da educação vêm a público pedir o apoio da sociedade para reforçar as cobranças ao prefeito em uma ampla campanha pela VALORIZAÇÃO E RESPEITO a esses profissionais, que tanto já contribuíram com o desenvolvimento desse município.

Seguem abaixo nossas reivindicações:

1. Fim da redução dos salários;

2. Data-base conforme o índice do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN);

3. Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) construído com a participação dos educadores;

4. Reposição de todos os prejuízos oriundos da redução salarial;

5. Fim dos contratos desnecessários na educação;

6. Melhorias das condições de trabalho e das escolas;

7. Respeito à categoria;

8. Respeito com as pessoas em remanejo de função devido ao estado de saúde;

9. Gestão democrática dentro do âmbito da secretaria de educação.

 
 
  10/12/2018
Boletim CNTE 824
É urgente que as entidades educacionais se manifestem contra a aprovação sorrateira da nova BNCC do Ensino Médio
INFORMATIVO CNTE 824  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 606 - Vitória: projeto "Escola Sem Partido" é arquivado

 
 

Carta aberta aos(às) trabalhadores(as) em educação e à sociedade sobre os retrocessos na agenda social do país

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Com o tema “Uma construção coletiva: a resistência do magistério público à BNCC e padronização curricular” o SINTESE realiza dia 01 de fevereiro, das 8h às 16h, no auditório...
Desde o dia 1º de janeiro, o piso salarial do Magistério válido para todos os docentes do país é de R$ 2.557,74. Isso representa um reajuste de 4,17% frente aos R$ 2.455,00 em 2018. O valor corresponde ao vencimento...
Em seus primeiros dias do novo mandato, o novo governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), publicou um decreto para bloqueio de R$ 8 bilhões das contas públicas do Estado. Isso significa que o governo poderá deixar de gastar...
Além de toda a luta coletiva que a rede estadual tem feito, o Sind-UTE/MG tem travado uma luta para que o Judiciário cumpra seu papel na garantia de direitos para os servidores e servidoras da educação. Até o mês...
O ano letivo na rede estadual de ensino de São Paulo se iniciará sob a égide de um novo governo, com problemas acumulados ao longo de anos e uma nova situação que poderá agravar ainda mais a falta de professores...
Como parte da Campanha Mundial contra a Privatização e o Comércio da Educação, a CNTE convida sindicatos filitados a participarem da apresentação do estudo sobre este tema realizado pela Internacional da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), ao repercutir a escala de pagamento anunciada pelo governo do Estado, nesta terça-feira (8/1/19) faz as seguintes considerações: O...
Nesta sexta-feira, 11 de janeiro, acontece a primeira Assembleia Geral da Educação de 2019. O encontro será realizado às 15h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da...
Desde que algumas redes começaram a anunciar o adiamento do início do ano letivo de 2019, e que essa possibilidade foi aventada no município de Betim, diante da publicação do Decreto de Estado de Emergência...
Na tarde desta segunda-feira (07/01/19), a direção estadual do Sind-UTE/MG solicitou ao Governador Romeu Zema que abra processo de negociação com a entidade. A solicitação foi feita com urgência,...
Após convocação feita pelo Núcleo Regional do Sinteal de Palmeira dos Índios, trabalhadoras/es em educação da rede pública municipal de Maribondo participaram, na manhã desta 2ª feira...
O Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) expressa de forma veemente o REPÚDIO, ao governo do estado de Mato Grosso, que tomou posse no dia 01 de janeiro de 2019, Mauro Mendes....
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.