MT:Programa de Demissão Voluntária é armadilha para os servidores públicos - CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação
     
     
 

MT:Programa de Demissão Voluntária é armadilha para os servidores públicos

Publicado em Segunda, 14 Maio 2018 09:40

banners giro pelos estados 2

O governo Taques tem anunciado um Programa de Demissão Voluntária (PDV), que busca reduzir o contingente de servidores/as públicos/as efetivos/as do Estado, com objetivo de “cortar gastos”. A mesma proposta é apresentada em nível federal, na gestão Temer, e segue os moldes do que foi implementado há quase duas décadas pelo governo Fernando Henrique Cardoso. Um programa que deixou de apresentar resultados para as contas públicas, mas trouxe muitos prejuízos para os que aderiram, sendo que até hoje é motivo de disputas judiciais para anulação das demissões.

“Esse programa é uma forma dos governos neoliberais sucatearem ainda mais o serviço público e depois, justificarem as privatizações e terceirizações no Estado. Em vez de aplicar os recursos conforme consta na legislação estadual e Federal, o governo Taques mais uma vez coloca a culpa nos/as servidores/as públicos/as da crise criada pela falta de gestão”, enfatiza o presidente do Sintep/MT, Henrique Lopes.

Um Estado que apresenta, apenas na educação, um déficit de 60% dos profissionais como registra o próprio governo, quando apresenta o número de contratos temporários, há incoerência em afirmar que há necessidade de cortes de servidores. Na verdade, ao desvincular o efetivo os governos possibilitam um outro tipo de contratação, na maioria das vezes precária. Foi o que se constatou com o PDV de FHC.

Um exemplo disso, seria um profissional da Educação graduado, com 15 anos de serviço público, recebendo em média R$ 3.700,00 receberia hoje cerca de R$ 80 mil pelo PDV, que na proposta federal, a indenização será em parcela única. Para aquele com projeto de se tornar empresários ou concretizar sonhos de viagem, casa própria, pode parecer vantajoso. Mas quem se desliga do cargo público perde direitos como aposentadoria, a paridade, e mais não poderá reivindicar benefícios e verbas trabalhistas que deixaram de ser pagas durante o período de estabilidade.

“O mais inadmissível dessa proposta para Mato Grosso é o governo falar em corte de gastos, quando concede isenções e renúncias fiscais, ou seja, dispensa recursos na ordem de R$ 3,5 milhões por ano, o que significa o orçamento total da Educação em 2018”, conclui Henrique Lopes.

(Sintep/MT, 14/05/2018)

 
 
  07/08/2018
Boletim CNTE 818
Essa é a semana do 10 de agosto: Dia Nacional do Basta!
INFORMATIVO CNTE 818  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária
 
 

Programa 603: CNTE debate Reforma Tributária Solidária

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Depois de 24 dias de greve, iniciada após a Prefeitura de Vitória da Conquista encerrar o diálogo e as negociações da Campanha Salarial 2018, deixando claro sua ausência completa de habilidade para negociar, os...
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí (SINTE-PI) foi informado na manhã desta quarta-feira (15) que o governador Wellington Dias recorreu do despacho da decisão Judicial do desembargador Dr. Joaquim...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) realizará em três dias análises sobre os impactos que as políticas educacionais vem trazendo para a Educação Pública nas...
Ansiedade, estresse, dores de cabeça e insônia estão entre os principais problemas que afetam educadores, segundo estudo realizado pela NOVA ESCOLA. Experimente perguntar a um professor como anda a sua saúde –...
“Decisão judicial não se discute, se cumpre!” Com esse objetivo, o Sinteal realizou, na manhã desta quinta-feira (16), uma grande assembleia de greve da rede municipal de Maceió para discutir formas de organizar...
Com o objetivo de pressionar o Governo Municipal e acompanhar na Câmara Municipal de Goiânia na votação da Reforma do Instituto de Previdência do Servidor Municipal (IPSM), PLC 31/2018, que está agendada para...
Após assembleia na manhã dessa segunda-feira, 13 de agosto, a categoria, em votação, deliberou pela suspensão da greve dos profissionais da educação da rede municipal de ensino de Vitória da...
Foto: Luiz Damasceno/CPERS O Movimento Unificado dos Servidores e o Fórum de Servidores Públicos Estaduais preparam, em conjunto, um debate com os candidatos a governador do Rio Grande do Sul. A intenção é sabatinar...
Basta! Essa foi a palavra de ordem do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) durante ato público, sexta-feira (10), na Praça Ipiranga, em Cuiabá. Integrada à mobilização...
Em assembleia unificada, realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (SINTEGO) e as entidades representativas dos servidores municipais, na terça-feira (7/8), foi definido, entre os trabalhadores de todas...
A Diretoria do Sintero esteve, na terça-feira (07/08), em audiência com o secretário Municipal de Educação de Porto Velho, César Licório, para tratar da pauta de reivindicações dos...
“Lutamos pela garantia do respeito e da valorização dos profissionais da Educação pública, não vamos nos calar diante da redução de direitos”, disse o presidente do Sintet, José...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.