BA: Manifesto dos educadores baianos em defesa da democracia

Publicado em Sexta, 19 Outubro 2018 10:54

banners giro pelos estados 2

Nós, educadores baianos, vimos a público manifestar nossa grande preocupação com os destinos do nosso país e da nossa gente. Como educadores que somos, cujo papel fundamental é mediar conhecimento, na busca da construção de novos saberes, temos que ter posição firme e coerente!

O Brasil já amarga grandes problemas econômicos, políticos, institucionais e sociais. O povo brasileiro vem sofrendo derrotas sucessivas! Essa situação foi instalada quando o poder central foi tomado de assalto por golpistas, que vêm rasgando a Constituição Brasileira, resultando na retirada de direitos dos trabalhadores, no aumento do desemprego, no aprofundamento das desigualdades, na dilapidação das lucrativas estatais e das nossas riquezas naturais, sendo a mais grave, a venda a “preço de banana” do Pré-Sal – considerado a maior reserva de petróleo do mundo – para petroleiras internacionais, promovendo incalculáveis prejuízos para a economia brasileira e cujos royalties seriam investidos na educação e saúde.

Após o golpe congelaram por vinte anos os gastos públicos, por meio da EC95/2016, trazendo consequências desastrosas para a educação, num flagrante desrespeito à Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB – e o Plano Nacional de Educação – PNE. Outros ataques à educação foram: as reformas do Ensino Médio e da Base Nacional Comum Curricular – BNCC, que trazem características excludentes, pois não atendem aos interesses e às necessidades da sociedade.

O Brasil tem hoje um governo submisso às grandes potências estrangeiras e vem concentrando mais riqueza para uma ínfima minoria (1% da população) e mais pobreza e fome para a maioria. Não merecemos isso!

Entretanto, o povo brasileiro terá a oportunidade de mudar essa realidade voltando às urnas para escolher o novo presidente!

A disputa está entre dois candidatos com características completamente antagônicas!

De um lado, Fernando Haddad, advogado e professor de ciência politica da USP e sua vice, Manuela D’Ávila, jornalista, propõem uma “verdadeira refundação democrática do Brasil para recuperar a soberania nacional e popular, atingidas duramente a partir do golpe de 2016”.

Do outro lado, Jair Bolsonaro – um capitão de reserva e o seu vice, Hamilton Mourão, general da reserva, defendem, juntos, um programa antinacional, antipopular, com claras referências fascistas, ao defender as torturas praticadas durante a ditadura militar. Seu programa de governo traz um pacote de maldades até mesmo mais agressivas que as de Temer. Candidatos que pretendem “expurgar” as ideias do educador, pedagogo e filósofo Paulo Freire – reconhecido internacionalmente e declarado, por lei, como Patrono da Educação Brasileira – referindo-se aos seus ensinamentos como uma “ideologia de má influência”;

ENTENDENDO QUE:

- temos responsabilidade com o futuro da nossa nação, com a vida do nosso povo, especialmente com as crianças e jovens de hoje e das gerações futuras;

- a vida deve ser preservada e que repudiamos qualquer incitação à violência, seja cultural, intelectual, física ou moral;

- é nossa missão defendermos enfaticamente a liberdade de pensar e agir, desde que não esqueçamos que sempre há o outro (de quem somos o outro);

- para que cumpramos a missão a nós delegada, pela sociedade, quando escolhemos a função de professores, uma missão para a qual é fundamental estarmos convictos de que somos mediadores entre o sujeito e o conhecimento;

- não podemos nos esquecer das lições de Paulo Freire. Ele nos deixou claro que o nosso papel não pode se reduzir a depositar informações nos alunos, mas propor situações para que seja estimulado o desenvolvimento da criticidade, para que também eles sejam autores, protagonistas de ações por um mundo mais justo e mais humano. Um mundo onde a diversidade seja respeitada, onde a igualdade de oportunidades elimine privilégios de uma casta sobre os demais.

Assim é que, considerando que o papel de professor pressupõe uma relação dialógica, onde, num encontro democrático e afetivo todos podem se expressar, reafirmamos, aqui, a nossa responsabilidade, diante dos nossos educandos, de defendermos veementemente os princípios que norteiam a concepção de aprendizagem postulada pelos grandes mestres em educação.

POR QUE SABEMOS QUE:

- para propiciar no espaço escolar um encontro entre o imaginário e o real, entre a teoria e a prática, entre a ciência e a ignorância, entre emoção e razão, e deste modo mostrar aos nossos alunos como é empolgante e maravilhoso se apropriar do conhecimento;

- para que nossos alunos possam aprender a pensar e questionar, e, deste modo, possamos contribuir na formação da cidadania das nossas crianças e jovens;

- nossas ações em sala de aula devem ser norteadas pelo exercício da liberdade e da democracia, o que só poderemos conseguir através de uma proposta educacional coerente e avançada.

Portanto, diante da polaridade em que nos encontramos neste momento crucial de eleição presidencial, não podemos nos omitir. Precisamos estar cientes e declararmos que TEMOS LADO, SIM!

O lado de um projeto de governo que restabeleça o estado democrático de direito, fazendo nosso país voltar a ser respeitado internacionalmente.

O lado da democracia em que O VOTO, em oposição à restrição de direitos, representa o desejo e a necessidade da maioria.

Salvador, 14 de outubro de 2018.

(APLB-Sindicato, 18/10/2018)

 
 
  10/12/2018
Boletim CNTE 824
É urgente que as entidades educacionais se manifestem contra a aprovação sorrateira da nova BNCC do Ensino Médio
INFORMATIVO CNTE 824  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 606 - Vitória: projeto "Escola Sem Partido" é arquivado

 
 

Carta aberta aos(às) trabalhadores(as) em educação e à sociedade sobre os retrocessos na agenda social do país

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Os membros do Conselho Geral do Sinte-PI realizaram a primeira reunião de 2019 na última terça-feira (15) para discutir pontos importantes para organização da categoria neste início de ano, como o reajuste dos...
Decisão foi votada em assembleia nesta quarta, 16, em protesto pelo cumprimento das reivindicações dos profissionais da Educação Os trabalhadores em educação da rede municipal de Guaraí decidiram...
Com o tema “Uma construção coletiva: a resistência do magistério público à BNCC e padronização curricular” o SINTESE realiza dia 01 de fevereiro, das 8h às 16h, no auditório...
Desde o dia 1º de janeiro, o piso salarial do Magistério válido para todos os docentes do país é de R$ 2.557,74. Isso representa um reajuste de 4,17% frente aos R$ 2.455,00 em 2018. O valor corresponde ao vencimento...
Em seus primeiros dias do novo mandato, o novo governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), publicou um decreto para bloqueio de R$ 8 bilhões das contas públicas do Estado. Isso significa que o governo poderá deixar de gastar...
Além de toda a luta coletiva que a rede estadual tem feito, o Sind-UTE/MG tem travado uma luta para que o Judiciário cumpra seu papel na garantia de direitos para os servidores e servidoras da educação. Até o mês...
O ano letivo na rede estadual de ensino de São Paulo se iniciará sob a égide de um novo governo, com problemas acumulados ao longo de anos e uma nova situação que poderá agravar ainda mais a falta de professores...
Como parte da Campanha Mundial contra a Privatização e o Comércio da Educação, a CNTE convida sindicatos filitados a participarem da apresentação do estudo sobre este tema realizado pela Internacional da...
O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), ao repercutir a escala de pagamento anunciada pelo governo do Estado, nesta terça-feira (8/1/19) faz as seguintes considerações: O...
Nesta sexta-feira, 11 de janeiro, acontece a primeira Assembleia Geral da Educação de 2019. O encontro será realizado às 15h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da...
Desde que algumas redes começaram a anunciar o adiamento do início do ano letivo de 2019, e que essa possibilidade foi aventada no município de Betim, diante da publicação do Decreto de Estado de Emergência...
Na tarde desta segunda-feira (07/01/19), a direção estadual do Sind-UTE/MG solicitou ao Governador Romeu Zema que abra processo de negociação com a entidade. A solicitação foi feita com urgência,...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.