RS: CPERS arranca do Governo compromisso de discutir reposição salarial e pauta de reivindicações

Publicado em Terça, 16 Abril 2019 08:35

2019 04 16 giro CPERS

Após uma longa e tensa audiência com o secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, a direção central do CPERS saiu do Piratini no final da tarde de sexta-feira (12/4) com o compromisso de uma mesa de negociação sobre a pauta de reivindicações da categoria.

Em mais de uma hora e meia de reunião – transmitida na íntegra pelo Sindicato no Facebook -, as partes chegaram à data limite desta terça-feira (16) para que o governo comunique dia, hora e local para debater a pauta.

Salário em dia, reposição emergencial de 28,78% – cifra que corresponde às perdas inflacionárias em mais de quatro anos de salário congelados – e a realização de concursos públicos para professores(as) e funcionários(as) de escola foram as demandas aprovadas por mais de 5 mil educadores(as) em Assembleia Geral no início da tarde.

Inicialmente, a direção havia acordado em não sair do Piratini até que a data do início da negociação fosse definida. A reunião foi construída após a caminhada dos(as) educadores(as) presentes na Assembleia até o centro do poder do Executivo. Na Praça da Matriz, enquanto transcorria a audiência, servidores(as) de outras categorias, pais e estudantes realizaram uma Assembleia Popular para pressionar o governo a dar respostas. Após tentativas frustradas de fixar a data para a mesa, a direção optou pelo recurso de ocupar o Piratini se necessário.

Na Casa Civil, os(as) dirigentes e o secretário travavam um duro embate. Otomar começou o diálogo sem oferecer uma data para a negociação e sem assumir o compromisso de estabelecer uma mesa. Prometia, apenas, uma resposta sobre a viabilidade de atender o pedido. Insatisfeita com a posição, a direção comunicou a intenção de permanecer o quanto fosse necessário. Diante do impasse, o secretário propôs que a resposta traria a definição da data para a reunião, com a pauta específica da categoria.

“Vocês tem a minha palavra. É a minha trajetória que está em jogo. Vou honrar meu compromisso”, afirmou Otomar Vivian.

Após a audiência, Helenir se emocionou ao comunicar o encaminhamento ao público que aguardava na Matriz.

“Não tenho vergonha de chorar e dizer que a nossa categoria está no limite. Nós precisamos de reajuste para a nossa sobrevivência. Não temos dinheiro para comer. Tem gente pedindo dinheiro emprestado para ir trabalhar. A nossa lágrima ainda vai se tornar na nossa maior força. Porque nós vamos à luta, porque nós vamos conseguir arrancar sim o reajuste que a gente tanto precisa”, declarou.

Durante a reunião, os(as) diretores(as) expressaram a angústia da categoria, que além do congelamento, amarga 40 meses de salários atrasados e parcelados. “As manifestações do governador têm nos deixado muito preocupados, principalmente quando diz na mídia que planeja mudanças no Plano de Carreira e que fará cortes. Promete diálogo mas, na prática, não nos recebe para discutir o que interessa. Que tipo de diálogo é esse?”, questionou a 1ª vice-presidente, Solange Carvalho.

A secretária-geral, Candida Rossetto, também criticou a postura do Governo. “Estamos passando fome. Não dá para comer sopa de diálogo. O limite é colocar o pão na mesa e isso não está acontecendo. É desesperador. Se diante de um caos desses, que é o caos, não há sensibilidade, vontade de marcar uma data, senhor secretário, me desculpe, mas é muito pouco”, desabafou.

Edson Rodrigues Garcia, 2º vice-presidente, destacou a situação de miséria dos(as) educadores(as). “Nós representamos mais de 100 mil de trabalhadores e trabalhadoras em educação que estão em uma situação de miserabilidade. O senhor sabe o que representa quatro anos sem um centavo de reposição? Tivemos pessoas que tiraram a própria vida por não ter condições de sustentar suas famílias. As panelas estão vazias na casa dos educadores”, disse.

Confira a pauta de reivindicação e as propostas de mobilização aprovadas na Assembleia Geral:

1 – Pauta de Reivindicações da Categoria a ser aprovada na Assembleia Geral e entregue ao governo: reposição salarial emergencial 28,78% e concurso público para professores(as) e funcionários(as);

2 – Estado de Greve da Categoria, no sentido de construção da Greve Geral;

3 – Comitês contra a Reforma da Previdência em todos os municípios, com retomada da articulação com as forças políticas para ampliação do debate e movimento de resistência contra a Reforma da Previdência(abaixo-assinado, plenárias, audiências públicas, aulas públicas, uso da cartilha, spots nas rádios e som de rua, passeata luminosa, dentre outras);

4 – Semana da Educação aprovada no CNE – CNTE, de 22 a 29 de abril:

Pressão sobre os(as) vereadores(as) e prefeitos(as) dos municípios para que cobrem posição contrária à Reforma da Previdência;

Arrastão no entorno da Escola, dialogando com a comunidade a respeito dos ataques à seguridade social, articulando esta ação com o movimento estudantil;

Banca nas Praças(cartilha, panfletagem e abaixo-assinado), dialogando sobre as questões concretas da Reforma da Previdência que atingem o povo;

Exposição de varal de contracheques em frente às escolas e praças, com gráficos comparativos de salários de outras categorias;

Dia 24/04(4ª feira) – Ato Público Estadual em Defesa do IPE, em Porto Alegre. Paralisação e Mobilização Nacional contra a Reforma da Previdência, Rumo à Greve Geral, com denúncias de situações vivenciadas na base da categoria que refletem o desmonte do IPE Saúde.

5 – Participação nas atividades chamadas pelas centrais sindicais em 1º de Maio – Dia do(a) Trabalhador(a) nas regiões onde tiverem organização e, os demais, participam em Porto Alegre;

6 – Dia 15/05 – Data indicativa para as Centrais Sindicais realizarem a Greve Geral da Classe Trabalhadora. Na eventualidade das Centrais Sindicais não convocarem teremos, então, a Greve Nacional da Educação;

7 – X Congresso Estadual do CPERS/Sindicato, dias 06, 07 e 08 de setembro, em Bento Gonçalves/RS.

8 – As datas do “Dia D” devem ser destinadas para as pautas de reivindicações da categoria, sem legitimar a proposta do governo.

9 – Escolher um dia posterior ao não recebimento do salário para realizar períodos reduzidos nas escolas e realizar aulas públicas em eixos temáticos demandados pela categoria em preparação à Greve Geral.

10 – Moção de repúdio pelo assédio aos(às) colegas contratados(as)/convocados(as) que são submetidos ao contrato e convocação por tempo determinado não recebendo pelos meses de janeiro e fevereiro.

11 – Atos unificados e sincronizados na frente das CREs que serão orientados pela direção central.

12 – Elaboração de um material sobre as conquistas de direitos da categoria ao longo dos anos.

13 – Campanha a favor do Plebiscito “Pela Defesa do Direito do Cidadão Gaúcho em Decidir sobre a Privatização das Empresas Estatais do Rio Grande do Sul”;

14 – Paralisação no dia posterior ao não recebimento do salário.

(CPERS, 15/04/2019)

 
 
  13/05/2019
Boletim CNTE 835
Rumo à greve geral da classe trabalhadora em 14 de junho!
INFORMATIVO CNTE 835  
 
 
Presidente da CNTE Heleno Araújo fala sobre a Greve Nacional da Educação
 
 

Programa 611 - Lançamento da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública

 
 

Nota de apoio à greve dos servidores administrativos do Mato Grosso do Sul

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Milhares de profissionais da Educação da rede estadual, que aprovaram a deflagração de greve, votada em Assembleia da categoria, nesta segunda-feira (20/5), ocuparam as ruas do centro de Cuiabá, numa caminhada...
O Sindeducação participou, no último dia 14, de uma reunião com professores e pais de alunos da UEB Camélia Viveiros, localizada no Bairro Coroado, em São Luís (MA). A unidade escolar está...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) convoca os profissionais da educação da rede estadual para a Assembleia Geral da categoria nesta segunda-feira (20.05), a partir das 14horas, na Escola...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) convoca todas as entidades filiadas a participarem da "Semana de Calcular Sua Aposentadoria", de 20 a 24 de maio, em todo país. Neste período a CNTE...
Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) | A Agência Sindical segue debatendo a reforma da Previdência. Desta vez, entrevistamos Antônio Augusto de Queiroz, jornalista, assessor político e diretor...
Cerca de 5 mil manifestantes participaram da Greve Nacional da Educação em Divinópolis (MG), que envolveu muitos segmentos sociais, sindicalistas, todas as redes de ensino, e muitos estudantes e principalmente a Comunidade escolar.A...
O Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió realizou assembleia geral com as categorias, na manhã desta sexta-feira (17), na Praça Dois Leões, em Jaraguá, oportunidade para as lideranças...
Dia 15 de maio foi um dia histórico, o Sinproesemma junto com trabalhadores em educação, centrais sindicais, estudantes e movimentos sociais saíram às ruas para protestar contra as medidas do governo Jair Bolsonaro e...
Além de indicar retomada do movimento de massas no Brasil, a mobilização inspira a necessária resistência aos tempos sombriosA Greve Nacional da Educação do último dia 15 de maio mobilizou...
"Ninguém solta a mão de ninguém" é o tema da campanha da CNTE pelo Dia Nacional e Internacional de Luta Contra a LGBTfobia. A data comemorativa foi instituída quando a Organização das...
Aproximadamente cinco mil pessoas participaram das manifestações em frente a Assembleia Legislativa, em Palmas O Dia 15 de maio foi marcado por “aulas nas ruas”, milhares de trabalhadores e trabalhadoras em...
Entidades sindicais que defendem os trabalhadores da Educação, centrais sindicais, movimentos estudantis, movimentos sociais e trabalhadores foram às ruas nesta quarta-feira (15), defender o financiamento permanente...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.