Em defesa da democracia, da soberania e dos direitos dos cidadãos e cidadãs brasileiros/as

Publicado em Terça, 29 Maio 2018 08:25

banners nota publica 2

Neste momento, o País vive mais uma crise decorrente do golpe parlamentar, jurídico e midiático que depôs uma presidenta eleita democraticamente sem que tivesse cometido qualquer crime de responsabilidade.

O abalo à democracia e a concentração do Poder nacional em mãos de grupos políticos corruptos e descompromissados com os interesses da maioria do povo brasileiro, é o que explica a ininterrupta instabilidade política, social e econômica no Brasil.

O processo eleitoral de outubro próximo, que poderia reestabelecer a ordem democrática, corre sérios riscos, seja pela crescente instabilidade social orquestrada por setores que defendem a intervenção militar, seja pela prisão ilegítima (sem provas!) do ex-presidente Lula, que detém ampla preferência dos/as eleitores/as em relação aos demais pré-candidatos, ou mesmo em decorrência da plutocracia que domina a política nacional e mundial e que impõe pautas conservadoras, antidemocráticas e restritivas de direitos.

Em relação à greve dos caminhoneiros, que tem gerado amplo desabastecimento e insegurança no País, a CNTE reconhece e apoia a pauta central do movimento – A REDUÇÃO DO PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS. Porém, a Entidade repudia pautas de setores que conduzem o movimento paredista, a exemplo da intervenção militar!

O compromisso da CNTE é com a democracia, a soberania e os direitos da classe trabalhadora e de toda sociedade. E não há como titubear na defesa dessas prerrogativas balizares do Estado Democrático de Direito.

O cerne da crise atual – o preço dos combustíveis e do gás – é consequência da irresponsabilidade do grupo político que tomou de assalto o Poder, sob o comando do ilegítimo Michel Temer. Ao atrelar o preço dos combustíveis à flutuação do mercado internacional e ao privatizar campos do Pré-sal (tal como se pretende fazer com setores de energia elétrica e água), os golpistas de plantão não apenas abrem mão do controle soberano sobre a política energética brasileira, como submetem a população a pagar preços abusivos dessas commodities altamente instáveis no mercado internacional, a fim de beneficiar os acionistas da Petrobras (grande parte estrangeiros!).

A política inconsequente dos preços dos combustíveis e do gás, comandada por Michel Temer e Pedro Parente (presidente da Petrobras), elevou em apenas dois anos mais de 50% o custo da gasolina e do diesel e em média 60% o valor do gás. E mais: desde 2016, o atual governo aumentou as importações de petróleo e derivados de 10% para 24%, induzindo o aumento de preços dos combustíveis, sendo que, em 2013, a produção nacional de petróleo já atendia 90% da demanda interna, o que não explica essa opção equivocada da Petrobras em priorizar produtos de petroleiras estrangeiras.

Por outro lado, as negociações do Governo Federal com o patronato do setor de transportes, entre elas, a que pretende repassar parte do ônus das isenções nos combustíveis para os Estados, através do rebaixamento da alíquota do ICMS, tende a agravar sobremaneira a sustentação financeira desses entes federados, comprometendo as contas públicas e a oferta de serviços essenciais à sociedade.

Na próxima quarta-feira (30), a Federação Única dos Petroleiros – FUP fará greve de 72 horas pela redução dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha, pelo fim das importações de gasolina e outros derivados de petróleo, contra a privatização da Petrobras e do Pré-sal, entre outras pautas. Essa greve é legítima e de fundamental importância para desmascarar discursos que insistem em confundir a opinião púbica, como o que atribui exclusivamente a crise dos combustíveis aos impostos. Se é fato que os tributos sobre os combustíveis praticamente dobraram na gestão do ilegítimo Michel Temer, também é verdade que as políticas da Petrobras de privatização do Pré-sal, de importação e de preços atrelados ao mercado internacional sobrecarregam o orçamento das famílias brasileiras e comprometem a soberania e segurança energéticas do País.

Diante da gravidade dos fatos e de suas consequências para a população e para a democracia brasileira, a CNTE orienta seus sindicatos filiados a se incorporarem nas mobilizações dos petroleiros, dando todo apoio às manifestações organizadas pela FUP e convidando a categoria a debater (sob a correta narrativa) os temas que estão no centro da atual crise instalada no País.

Brasília, 28 de maio de 2018
Diretoria da CNTE

 
 
  08/02/2019
Boletim CNTE 825
O começo do ano letivo de 2019 traz imensos desafios para os trabalhadores em educação de todo o Brasil
INFORMATIVO CNTE 825  
 
 
Videoconferência Reforma Tributária Solidária (06/08/2018)
 
 

Programa 607: No Dia do Aposentado, CNTE pede resistência.

 
 

Carta aberta aos(às) trabalhadores(as) em educação e à sociedade sobre os retrocessos na agenda social do país

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Em visita à Escola Estadual Nossa Senhora do Bom Conselho, na última sexta-feira (8/2), o Sinteal foi informado sobre problemas graves na estrutura. Em conversa com a direção da Escola, a presidenta Consuelo Correia...
O Sindicato APEOC, representado pelo presidente, Anizio Melo, e pelo secretário-geral, Helano Maia, reuniu-se nesta sexta-feira (08), com o secretário da articulação política, Nelson Martins, para tratar do projeto da...
Em carta recente ao Supremo Tribunal Federal (STF), o secretário da Fazenda do Estado de Alagoas, George Santoro, formulou pedido de quebra da garantia constitucional da irredutibilidade dos salários dos trabalhadores. Nesta mesma semana,...
"Eles querem colocar o partido conservador dentro do espaço da escola, tirando a pluralidade", diz presidente da CNTE Alunos em filas separadas por gênero cantam o hino nacional antes de entrarem à escola. Todos uniformizados, se...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) convoca os membros das secretarias e assessorias jurídicas das entidades filiadas para participarem de reunião para avaliar, definir...
No dia 20 de fevereiro, será realiza em São Paulo, a Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora. Organizada e já convocada nos Estados e municípios pelas Centrais Sindicais, o encontro tem como pauta principal a defesa da...
No dia 20 de fevereiro, será realiza em São Paulo, a Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora. Organizada e já convocada nos Estados e municípios pelas Centrais Sindicais, o encontro tem como pauta principal a defesa da...
A Direção do Sintero se reuniu na última segunda-feira (04/02), com o novo secretário de Estado da Educação, Suamy de Abreu, para tratar de vários assuntos de interesse dos trabalhadores em...
Assim como no Brasil, a propagação de falsas notícias nas redes sociais da Internet atinge a todos os países da região, atacando e difamando pessoas e setores sociais inteiros de um país. Definitivamente, virou...
O presidente do Sindicato APEOC, Anizio Melo, e o dirigente, Mikaelton Carantino, foram à Assembleia Legislativa do Ceará nesta terça-feira (05), para cobrar dos parlamentares estaduais a aprovação do projeto de lei...
É com muita preocupação que o Sintero vem a público manifestar repúdio diante da declaração feita pela Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, em vídeo divulgado na...
Educadores da rede municipal de Colinas do Tocantins estabeleceu um prazo máximo de trinta dias, para que a Prefeitura Municipal manifeste uma resposta sobre a pauta da Educação. Caso a gestão não responda dentro do...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.