Moção de repúdio contra o estado de sítio decretado em Honduras

Publicado em Segunda, 04 Dezembro 2017 11:24

banners mocao de repudio 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, REPUDIA de forma veemente o Estado de Sítio decretado pelo governo hondurenho diante das denúncias que indicam fraude eleitoral nas últimas eleições presidenciais do dia 26 de novembro.

Com toque de recolher, forte repressão militar aos movimentos de rua, perseguição e morte de cidadãos hondurenhos, esse gigante irmão da América Central, berço da civilização Maia no continente americano, sofre com a ganância de uma elite que, não sabendo respeitar os resultados eleitorais, impõe a seu povo golpes de Estado contra a democracia executados pelo seu Congresso e por sua Corte Suprema de Justiça. A rigor, Honduras inaugurou, ainda em 2009, esse novo processo de ataque à democracia na região quando, da mesma forma que veio a ocorrer no Paraguai em 2012 e no Brasil em 2016, por meio de um conluio entre mídia, Parlamento e poder judiciário, as elites do país em nome de interesses nada confessos dos Estados Unidos, destituíram presidentes legitimamente eleitos.

Um dos países mais sofridos da América Latina, Honduras é recordista em crimes ambientais praticados por grandes multinacionais instaladas no país, em ataques contra ativistas de direitos humanos, com índices similares aos colombianos, e as cifras de crimes contra a mulher (feminicídio) são estarrecedoras. E como agravante de tudo, depois do México, Honduras é um dos países que mais exportam mão de obra barata para os Estados Unidos. Foi diante desse cenário desolador que o país, feito de homens e mulheres fortes, decidiu soberanamente trilhar um caminho de emancipação, interrompido pelo golpe parlamentar contra o presidente Manuel Zelaya. Do Brasil via-se tudo aquilo como algo distante e pouco provável de se replicar algo semelhante por aqui, até que chegou o ano de 2016 e, da mesma forma, fizeram no maior país de nossa América Latina.

O dia de ontem (03/12/2017) foi marcado por manifestações gigantescas em Tegucigalpa, capital hondurenha. Por lá, certamente estavam presentes milhares de professores e professoras do país, vinculados às suas entidades de educação. O povo hondurenho não permitirá outro golpe contra o seu voto e da parte dos educadores e educadoras brasileiros/as, eles estejam certos de nossa irrestrita solidariedade.

Os/as trabalhadores/as em educação do Brasil, em Nota Pública (veja aqui), já se manifestaram e reivindicaram, no último dia 29 de novembro, pelo respeito aos resultados das eleições hondurenhas. Hoje, exigimos a suspensão do Estado de Sítio a qual o país foi submetido, o respeito ao sagrado direito de manifestação e uma saída política pactuada para pôr fim ao atual estado de violência a que estão submetidos os hondurenhos, que não pode ser outra se não o respeito à soberania popular do voto!

Brasília, 04 de dezembro de 2017

Diretoria Executiva da CNTE

 
 
  19/06/2018
Boletim CNTE 815
Instituto divulga relatório sobre o PNE e os resultados tendem a piorar
INFORMATIVO CNTE 815  
 
 
Heleno Araújo conclama categoria para apoiar greve dos eletricitários
 
 

Programa 602: Heleno Araújo participa de audiência pública no senado sobre violência nas escolas

 
 

Nota Pública: Lei da Mordaça (“Escola Sem Partido”) é inconstitucional, antidemocrática e antipedagógica

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
A APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo), através de seu secretário-geral, professor Leandro de Oliveira, está no Japão, participando de um intercâmbio de sindicalistas da...
Por *Denor Ramos A ausência de placa no portão de entrada e duas faixas fixadas pelo grêmio estudantil nas grades sobre o muro trazendo as frases “Governador, reforma urgente! 10 anos de espera” e “O governo...
Por Helenir Aguiar Schürer (*) Nesta semana, São Lourenço do Sul se tornou a primeira cidade gaúcha a aprovar a Lei da Mordaça, com a roupagem de “Escola Sem Partido”. Caso o Executivo sancione a censura em...
Uma das principais bandeiras do governo Michel Temer, o novo teto para gastos públicos – instituído pela Emenda Constitucional 95, de dezembro de 2016 – é alvo de um “pacote” de sete ações de...
Em assembleia realizada pelo Sinteal nesta quarta-feira (18), trabalhadoras/es da educação da rede municipal de Maribondo decidiram recusar a proposta de reajuste apresentada pela prefeitura, a categoria reivindica que a proposta respeite...
O sétimo dia de greve dos trabalhadores em educação da rede municipal (17/07) começou vitorioso com uma assembleia bastante concorrida e participativa, onde a categoria avaliou a greve, dando destaque ao descaso do Executivo...
Em uma data histórica para a luta sindical em Alagoas, os/as servidores/as públicos/as municipais de Maceió, organizados por suas entidades (Sinteal, SindPrev, SindsPref, Saseal, entre outras; apoiadas pela CUT/AL), realizaram, na...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE, entidade representativa de mais de 4 milhões de trabalhadores das escolas públicas brasileiras, vem a público REPUDIAR a...
Representado por diretores/as da executiva estadual, o Sinteal participou, na manhã desta segunda-feira (16), de ato público em favor da garantia da destinação dos 60% (sessenta por cento) dos recursos dos precatórios...
A formatura de 74 novos professores do estado de Guerrero, no México, em 13 de julho, não estava completa. Faltavam os 43 estudantes da Escola Normal Rural Raul Isidro Burgos, desaparecidos em 26 de setembro de 2014. O nome de cada um foi...
Na última sexta, dia 13, comemoramos, em Assembleia festiva, uma série de avanços conquistados nas negociações da pauta reivindicatória 2018 (7% de aumento, a equiparação do auxiliar de classe com...
Nesta segunda-feira (16) completa o sexto dia da greve da Educação Municipal de Salvador que teve início na quarta-feira (11). A mobilização e disposição de luta continua firme e crescendo, apesar das...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.