Nota pública: Intervenção federal no Rio de Janeiro é cortina de fumaça para derrota iminente da Reforma da Previdência

Publicado em Sexta, 16 Fevereiro 2018 15:27

banners nota publica 2

Intervenção federal no Rio de Janeiro é cortina de fumaça para derrota iminente da Reforma da Previdência e se presta para, além de avançar com o golpe no Brasil, escamotear a rejeição crescente e acachapante dos golpistas por todo o país.


A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais da educação básica pública brasileira, vem a público denunciar a estratégia de desespero assumida por este governo golpista e corrupto de Temer, e agora, mais do que nunca, moribundo.

A proposta de intervenção federal nas forças de segurança do Rio de Janeiro, a ser confirmada ainda nas próximas horas – já que não se tem sequer o decreto de intervenção, que precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional em até 24 horas a partir de sua publicação -, avança o projeto do golpismo no Brasil e serve, antes de tudo, para escamotear a absoluta fraqueza e desmoronamento político e moral desses usurpadores que ora ocupam o Palácio do Planalto.

Se a intervenção for de fato aprovada pelo Congresso Nacional, a Reforma da Previdência não poderá ser ali votada, por força do artigo 60, parágrafo 1º da Constituição Federal. Esse artigo proíbe qualquer emenda à Constituição enquanto perdurar o estado de intervenção. Claro que se trata de uma grande cortina de fumaça em decorrência da derrota iminente do governo na aprovação dessa proposta de Reforma, prevista para ser votada na próxima semana (19 de fevereiro), quando também estão marcadas mobilizações em todo o país. Portanto, mesmo diante do impasse da intervenção, não podemos nos desmobilizar agora, tampouco ao longo do ano, pois a qualquer momento a matéria poderá entrar na pauta do Congresso.

Como dito, ainda se espera a edição do decreto presidencial que especificará a amplitude, o prazo e as condições de execução de tal intervenção. Pela imprensa, insinua-se que a intervenção federal pode perdurar até o final do ano de 2018, o que significa, na prática, que as próximas eleições nacionais (ou ao menos parte do processo eleitoral) serão realizadas sob o estado de intervenção, com forças do exército nas ruas da segunda maior cidade brasileira.

É estarrecedor o galope voraz do golpe no Brasil! Nesse sentido, fica claro que essa provável intervenção federal no Rio de Janeiro se presta a preservar o governo da derrota anunciada da Reforma, a tentar desmobilizar as grandes manifestações já agendadas e, de quebra, apostar em um perigoso e desesperado movimento para emplacar e unificar a candidatura dos golpistas nas eleições de 2018, apregoando o discurso fácil de fortalecimento da segurança pública, mote de campanha com adesão em expressivos segmentos da sociedade brasileira. Essa estratégia já é conhecida desde Bush nos Estados Unidos: querem impor o medo para que este vença a esperança. O carnaval deste ano no Rio de Janeiro, que escancarou ao mundo o golpe por meio do desfile da Escola de Samba Paraíso do Tuiuti e mostrou a ampla rejeição dos golpistas em vários blocos de carnaval de rua da cidade, certamente ainda será o centro das atenções por todo o ano de 2018.


Brasília, 16 de fevereiro de 2018

Diretoria Executiva da CNTE

 
 
  12/04/2019
Boletim CNTE 832
Início dos encontros dos coletivos da CNTE
INFORMATIVO CNTE 832  
 
 
Heleno Araújo participa de palestra sobre a reforma da Previdência em Pernambuco
 
 

Programa 611 - Lançamento da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública

 
 

Novo ministro da Educação, Abrahan Weintraub, indica o aprofundamento das políticas de mercantilização e privatização da educação no país

 
  Acesse a agenda de mobilizações da CNTE
 
  Acesse nossa galeria de fotos
 
  Disponível na Google Play e App Store
 

 VEJA MAIS NOTÍCIAS
Preocupado com a saúde dos profissionais da educação, o Sinteal esteve na secretaria municipal de saúde de Maceió, no dia 11 de abril, para falar sobre a campanha de vacinação contra o vírus...
Os professores da rede municipal de Educação de Riachinho estão em greve por tempo indeterminado desde o dia 8 de abril. A decisão foi tomada pela categoria em assembleia geral, no dia 28 de março. O movimento...
O dia 15 de abril de 2019 marcou o início da greve da Educação no Estado do Amazonas. Os/as trabalhadores/as em educação do Estado, representados pelo SINTEAM, deflagraram o movimento grevista da categoria com uma...
O Sintero recebeu respostas de diversas reivindicações dos trabalhadores em educação, através do ofício nº4533/2019, expedido pela Secretaria de Educação do Estado de Rondônia (Seduc),...
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos/as profissionais da educação básica do setor público brasileiro, repudia a atitude da...
Presidente da CNTE, Heleno Araújo, contribui com o ensaio “A Educação Cidadão ao golpe de 2016”, no livro A Constituição Traída que terá lançamento nacional em Recife -...
O Movimento Unificado dos Servidores Públicos de Maceió obteve importante vitória na última sexta-feira (12), após a inédita reunião com a presença do prefeito da capital, Rui Palmeira, e que...
O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso renova a representação dentro do Conselho Estadual de Educação de Mato Grosso (CEE-MT) para a gestão 2019-2023. A nova composição,...
O governo de Jair Bolsonaro (PSL) enviou ao Congresso Nacional um Projeto de Lei (PL) que regulamenta o ensino domiciliar. O PL faz parte das metas dos 100 dias de governo do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos...
As atividades de mobilização do Dia em Defesa dos Precatórios do FUNDEF para os profissionais do Magistério prosseguiram na tarde de quinta-feira (11). O Sindeducação e o Sinproesemma promoveram um debate, com...
Após uma longa e tensa audiência com o secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, a direção central do CPERS saiu do Piratini no final da tarde de sexta-feira (12/4) com o compromisso de uma mesa de...
Os educadores da Rede Pública Municipal de São Luís decidiram paralisar as atividades no próximo dia 30 de Abril, contra a política de arrocho salarial implementada pelo Governo Edivaldo Holanda Júnior, que...
Leia mais 
  Revista Mátria Programa de Formação Funcionários da educação Cadernos de Educação Pesquisas  
   
  Outras publicações 
 
   
   
  Mais eventos 
         
         
Outras campanhas 
         
         
         
         
 
 
             
INSTITUCIONAL LUTAS TABELA SALARIAL DOCUMENTOS LEGISLAÇÕES COMUNICAÇÃO FALE CONOSCO
             
- A CNTE - A Lei do Piso   - Caderno de Resoluções - Educacional - Notícias  
- Diretoria 2017/2021 - Cartilha do Piso   - Estatuto - Pesquisar - Giro pelos Estados  
- Entidades Filiadas - Propostas Diretrizes   - Moções   - CNTE Notícias  
- Secretarias de Carreira   - Notas Públicas   - Educação na Mídia  
  - Livreto Diretrizes       - Releases  
  e Carreira          
  - A Lei do PNE          
  - Cartilha do PNE    

CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação

Endereço: SDS, Edifício Venâncio III, Salas 101/106
CEP: 70393-902 - Brasília-DF
E-mail: cnte@cnte.org.br

Telefone: +55 (61) 3225-1003

  - Royalties do Petróleo    
       
       
       
       
       
       
       
       
       
2014© Todos os direitos reservados.