2020 04 27 giro sinteal

Em seu segundo dia de atividades virtuais da programação estadual da 21ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, o SINTEAL realizou, na tarde da última sexta-feira (24), em nosso canal no Instagram, uma live-debate que teve a participação, como moderador do debate, do professor Lucas Soares, também diretor de Imprensa e Divulgação do SINTEAL, e a convidada especial Catarina Almeida, professora-doutora da UnB – Universidade de Brasília. O tema da live interessa por demais aos trabalhadores do magistério, particularmente no Estado de Alagoas: “EAD em tempos de pandemia: solução ou problema?”.

Abrindo a live, Lucas alertou para a importância da categoria no debate e, agradecendo, a colaboração da professora Catarina Almeida, cedeu a palavra para as suas observações iniciais. A professora da UnB elogiou a escolha do tema (Educação a Distância) neste difícil período de pandemia da Covid-19, afirmando que o isolamento social que causou o fechamento das escolas foi, sim, “uma medida necessária, mas a Educação a Distância não é uma ‘solução mágica’ para manter os calendários letivos. E os governos estão é causando uma confusão danada”.

Perguntada pelo moderador sobre como os governos estão problematizando a questão, Catarina alertou que “há um conjunto de problemas que mostram que a EaD ainda não é, ainda, o melhor caminho, e o perigo é aprofundar o abismo que já existe na educação brasileira e, consequentemente, na desigualdade social do nosso país”. Para ela, “o mais importante, agora, é a defesa da vida, e o ano letivo não poderá nunca se sobrepor à vida! Assim, utilizar a Educação a Distância para dar continuidade ao ano letivo, na minha compreensão, é totalmente inviável tanto em termos operacionais, quanto em termos de justiça social”.

Para Catarina, “a Educação a Distância não é acessível para todos, não é universalmente democrática, tendo em conta a realidade de miséria de milhares de estudantes da educação pública e suas famílias. E para fazer uma modalidade dessa de ensino funcionar é preciso contar com condições de acesso, com qualificação de professores e de familiares, precisa da logística de computadores, internet banda larga. Ora! Não existe, na maioria, nem lares de estudantes preparados para esse tipo de educação!

Ela alertou que, mal começou o isolamento social na luta contra a Covid-19, “já apareceram fundações e empresas, que lucram milhões com plataformas de educação, anunciando soluções para o secular problema da Educação, e, neste caso, a Educação a Distância, devido o despreparo dos gestores educacional, em vez de solução, pode se tornar um grande problema”.

A solução para ela, agora, é “pensar ações e preparar estudantes, familiares e professores para o mais importante: a volta depois do isolamento social, principalmente com elementos voltados à segurança, como já vemos na Alemanha, mesmo sabendo da diferença enorme entre a educação deste país com a realidade do Brasil. Até porque, estaremos voltando com a obrigação de lidar com situações extremas de estudantes que perderam familiares, com professores que nem voltarão, porque foram vítimas fatais do vírus. Esta é a realidade, e não este mundo irreal da Educação a Distância”.

“A gente precisa defender a vida, cuidar primeiro da vida, e, depois, voltar para o sistema de ensino com a saúde íntegra, e daí repensar o calendário, construindo-o coletivamente, de forma democrática. Mas, o ano letivo não pode se sobrepor à vida”, disse Catarina, encerrando a sua participação.

Neste final de semana (sábado 25 e domingo 26), o SINTEAL convida a categoria para escolher dentre vários comentários que a CNTE irá dispor, e tecer comentários em nossas redes.

O SINTEAL, lembrando a continuidade da atividades, reafirma a convocação para a nossa categoria participar, na próxima 2ª feira (27), a partir das 15 horas, nos canais do sindicato no Facebook e Youtube, de mais uma live-debate, desta vez sobre o tema “O Fundeb Permanente garante a educação includente!”, que terá a participação da deputada estadual Jó Pereira (MDB/AL), da professora da UFAL, Sandra Lúcia Lira, e do professor, ex-presidente do SINTEAL, ex-vice-presidente da CNTE e especialista em Fundeb Milton Canuto de Almeida.

Lembramos, mais uma vez, que a programação estadual da 21ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública está se dando em paralelo com a programação nacional da CNTE, e vai até o próximo dia 30 de abril. Participe!

(SINTEAL, 27/04/2020)