PISO DO MAGISTÉRIO

Sintepe 24.01 

Foto: Sintepe

A direção do Sintepe (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco) protocolou na manhã desta terça-feira (24), no Palácio do Campo das Princesas, um ofício exigindo ao Governo do Estado a aplicação do Piso Salarial Nacional do Magistério na carreira de todos os servidores da educação em Pernambuco. O Piso foi definido em 2023 por portaria do MEC (Ministério da Educação) no valor de R$ 4.420,55, uma atualização de 14,95% em relação ao piso do ano passado, que era de R$ 3.845,63.

A presidenta do Sintepe, Ivete Caetano, detalhou as pautas levadas pelo sindicato por meio do ofício. “O índice do piso salarial deve ser aplicado em toda a carreira, para todos os cargos da educação: professores, analistas, servidores administrativos, ativos, aposentados. Queremos que a governadora receba o sindicato para debatermos isso. Há previsão legal para o cumprimento do piso, assim como há previsão orçamentária, sustentada pelo Fundeb, o Fundo de Manutenção da Educação”.

Ivete ainda reafirmou a urgência na convocação dos 2.907 professores concursados que foram aprovados no último concurso de 2022, assim como solicitou agilidade do Governo no calendário de pagamento das parcelas remanescentes de 2022 e da parcela de 2023 do Precatório do Fundef.

O Sintepe cobra do Governo do Estado que esse percentual do Piso (14,95%) seja repercutido em toda a carreira dos servidores da educação em Pernambuco, sejam eles professores, analistas educacionais, auxiliares e assistentes administrativos, ativos e aposentados.

O Sindicato considera que aplicar o percentual do Piso de 14,95% em toda a carreira da educação significa valorizar servidores em início de carreira, mas também aqueles que estão contribuindo com a educação pública em Pernambuco há mais tempo e que já recebem um pouco acima do piso.

Pela Assessoria de Comunicação do Sintepe (24/01/2023)