banners mocao de solidariedade 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, torna pública a sua SOLIDARIEDADE ao ato de coragem levado a cabo pelos camponeses do Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), protagonizado por Frei Sergio Görgen, Josi Costa e Leila Denise Meurer.

Esses três bravos militantes do MPA iniciaram no último dia 05 de dezembro uma greve de fome em plena Câmara dos Deputados, como ação de protesto contra a proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo governo ilegítimo e corrupto de Michel Temer. Segundo comunicado do próprio movimento, a sua greve de fome significa que alguns passarão fome por alguns dias para evitar que muitos passem fome a vida inteira!

É necessário lembrar que esse ato extremo protagonizado por esses três militantes do campo chega em um momento em que o Governo, a fim de dirimir as resistências advindas dos mais diferentes setores da sociedade brasileira a esse projeto de Reforma, propõe retirar os trabalhadores rurais das alterações por ela propostas. Mesmo assim, e diante da convicção de unidade de classe de todos os trabalhadores/as, do campo e da cidade, o MPA decidiu dar prosseguimento à sua ação, através desses três bravos guerreiros!

Todos sabem que a Reforma da Previdência proposta por este Governo tem como objetivo tão somente a retirada de direitos da classe trabalhadora, de modo a empurrar amplos segmentos da sociedade brasileira ao mercado da previdência complementar privada. O interesse por sua aprovação, e todo o montante de recursos políticos e financeiros mobilizados para que esse projeto seja aprovado no Congresso Nacional, vem justamente do mercado, em especial dos grandes bancos privados, nacionais e internacionais, principais interessados. E é por isso que esse corajoso ato de Frei Sergio, Josi e Leila ganham ares de uma verdadeira missão em favor dos menos favorecidos de nosso Brasil.

No enfrentamento com os grandes bancos e instituições financeiras, a resistência do povo brasileiro à aprovação desse nefasto projeto de Reforma da Previdência se encarna, nesse momento, nesse corajoso ato dos militantes camponeses do Brasil. E o apoio dos/as educadores/as brasileiros/as não poderia ser mais solidário do que aquele de cerrar fileiras junto aos bravos companheiros! Estamos juntos nessa luta! Contem sempre com o apoio dos trabalhadores/as em educação do Brasil!

Brasília, 07 de dezembro de 2017
Diretoria Executiva da CNTE