2019 04 26 giro sinteal

Qual a escola pública que queremos? Com essa pergunta, o Sinteal continua a "Jornada de Debates" nas escolas públicas de Alagoas, na programação da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública. No período da manhã, o debate aconteceu na Escola Municipal Nosso Lar (no bairro da Levada), e no CAIC José Maria de Mello (no Benedito Bentes).

A Nosso Lar reuniu as educadoras para uma roda de conversa sobre os temas propostos pela Semana da Educação. As dirigentes do Sinteal trouxeram reflexões iniciais que, de modo positivo, provocaram o debate entre as/os educadoras/es da escola, que descreveram a realidade do dia a dia, que fortalece a necessidade de defesa sem trégua da educação pública.

Questões como a privatização, que está chegando às escolas de forma gradual com o investimento de recursos em pacotes prontos oriundos de empresas privadas, como o "Acelera aí", um claro exemplo de forma precária de tratar a educação.

"São pacotes prontos, com métodos que deixam o professor de mãos atadas, sem autonomia para desenvolver conteúdo ou fazer pedagógico", disse Lenilda Lima, dirigente do Sinteal. "Parece macarrão instantâneo, que já vem pronto e que não dá para mexer", observou criticamente uma professora.

Outra preocupação debatida foi o processo de militarização das escolas, com censura e punição a professoras/es que ousem estimular os estudantes a pensar. Segundo Lenilda "escola não é lugar de militares. Militares têm a função da segurança. Escola é lugar de educar".

Relatando exemplos de escolas sob o domínio militar, que passam uma falsa impressão de disciplina, o grupo de debate constatou ser preciso ter cuidado com tal conceito porque "não se constrói saberes com mordaça", Disciplina é ter regras, limites, mas repressão com violência e silêncio imposto e absoluto não desenvolve uma sociedade", reforçou Lenilda.

Na oportunidade também foram debatidas as mudanças que o Governo Federal está propondo e que atingem diretamente a educação pública: reforma da Previdência, desvinculação dos recursos da União e mudanças no FUNDEB.

“Jornadas de Debates” continuaram à tarde

No período da tarde desta quinta-feira (25), mais três “Jornadas de Debates” foram realizadas pelo Sinteal, que distribui sua diretoria em “caravanas”, incentivando e colocando em prática o debate pluralista e democrático com as/os profissionais e alunos/as das seguintes unidades escolares: às 16hs, na Escola Estadual Professora Adeilza Maria (em Chã da Jaqueira); às 17hs, na Escola Estadual Drª Eunice Lemos Campos (no Benedito Bentes), e, às 18hs, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Sérgio Luiz Pessoa Braga (no Feitosa).

20ª Semana encerra com duas últimas “Jornadas de Debates”

Nesta sexta-feira (26), as “Jornadas de Debates” ligadas à 20ª edição da Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, construídas pelo Sinteal, vão ter seu desfecho no horário da manhã, com o seguinte calendário:

● 10hs - CMEI Vice-Governador Francisco Mello (Vergel do Lago).
● 10hs - Escola Municipal Profª Marizete Correia Nunes (Serraria).

“Estamos por encerrar os cinco dias de atividades ligadas à Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, convocada por nossa Confederação [CNTE], procurando debater nas escolas a grave situação por que passa a escola pública brasileira, e particularmente em Alagoas, buscando colher observações e informações de todos as companheiras e companheiros profissionais em educação que vivem diariamente o chão da escola, mas ouvindo e debatendo também com o conjunto de alunos. E são muitos os problemas que estamos enfrentando, e que pedem cada vez mais mobilização: falta de valori verbas insuficientes, ameaça de militarização e privatização do ensino, falta de condições de trabalho e de infraestrutura, gestão escolar, violência dentro e fora das escolas, carga de trabalho desumanas, adoecimento, dentre tantos outros. O Sinteal considera que o saldo extraído das atividades da Semana foi extremamente positivo”, disse a presidenta do Sinteal Consuelo Correia.

A presidente do Sinteal ressaltou, porém, que estes debates nas escolas não se encerram com o final da Semana Nacional: “O Sinteal vai continuar com a realização dessas jornadas de debates, e pede às diretorias das escolas entrem em contato com o nosso sindicato para agendarmos o encontro”.

1º de Maio e Greve Nacional da Educação

Em nome do Sinteal, Consuelo também está convocando a categoria para participar das manifestações do 1º de Maio: Dia do/a Trabalhador/a (na próxima quarta-feira), que terá concentração, às 09hs, no início do bairro da Pajuçara (na antiga sede do CRB), e também do 15 de maio: Greve Nacional da Educação.

 (Sinteal, 25/04/2019)