2019 04 23 giro sinteal

“Eu acredito e vou à luta”. É com este tema que o Sinteal (com os núcleos regionais e municipais), ao lado da CNTE - Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, está realizando, até 26 de abril, as atividades da 20ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública por todo o Estado de Alagoas. O primeiro dia da 20ª Semana foi dedicado a panfletagens, na parte da tarde, em frente ao antigo Produban, no Centro de Maceió, e de divulgação da campanha na mídia.

Nesta terça-feira (23), pela manhã, no CEPA - Centro Educacional de Pesquisas Aplicadas, no bairro do Farol, foi realizado um grande ato público público em defesa da educação pública e por valorização de todas/os as/os trabalhadoras/es em educação. De 24 a 26 de abril, serão realizadas Jornadas de Debates nas Escolas das redes estadual e municipais por todo o estado.

Panfletagem no Centro de Maceió

Abordando no corpo a corpo democrático quem circulava pelo Centro de Maceió, nesta tarde, as/os diretoras/es do Sinteal entregaram panfleto que resume os objetivos da 20ª Semana, principalmente a defesa intransigente da escola pública, não militarizada, laica e cidadã, com a valorização de seus profissionais em todas as áreas, além da luta sem trégua contra a reforma antitrabalhador (aposentados e ativos, do campo e da cidade) pretendida pelo Governo Bolsonaro. Até um megafone foi utilizado para passar melhor a mensagem de luta do sindicato.

Objetivos da 20ª Semana

A 20ª Semana Nacional tem dois objetivos principais: 1°) Lutar por uma escola pública gratuita, democrática, desmilitarizada, sem violência, laica, plural e que priorize a valorização de seus/suas profissionais; e 2º) A luta também sem trégua contra a criminosa Reforma da Previdência do (Des)Governo Bolsonaro, que pretende destruir direitos históricos dos/as trabalhadores/as (ativos/as e aposentados/as) e do povo brasileiro, enquanto protege e aumenta os lucros de banqueiros e grandes empresários.

“NÃO” à reforma da Previdência criminosa de Bolsonaro!

Juntamente com a CNTE, o Sinteal é totalmente contra a Reforma da Previdência do Governo Bolsonaro porque ela busca destruir direitos históricos dos/as trabalhadores/as, particularmente os/as da educação. As mudanças nas regras de aposentadoria do magistério, por exemplo, aliadas a outras medidas já aprovadas, como a reforma trabalhista e a EC 95 (que “congelou” gastos públicos na Educação e Saúde por 20 anos), significam um retorno aos tempos da “escravidão”! Esta reforma fere de morte a Constituição Federal/ 1988 e ataca violentamente os direitos dos/as trabalhadores/as, dos mais pobres e dos idosos. É o “desmonte” da Seguridade social. É o nosso futuro e o futuro da nação que estão em jogo. Diga “NÃO” à reforma previdenciária elitista e cruel de Jair Bolsonaro!

(Sinteal, 22/03/2019)