cnte dia internacional da mulher 2019 card

A CNTE lança neste Dia Internacional da Mulher - 8 de março - a 17ª edição da Revista Mátria. A publicação mostra que as mulheres estão cada vez mais presentes na agenda política. “A principal mensagem da Mátria é a resistência. O medo não pode paralisar, tem que servir para impulsionar, para que a gente supere as adversidades, em especial na educação”, reflete a secretária de Relações de Gênero da CNTE, Isis Tavares.

A nova edição da Mátria traz artigo em defesa da igualdade racial, assinado pela mestra em Educação e Políticas Públicas, Elizangela Silva e traz matéria especial sobre as mulheres quilombolas. Entre os assuntos abordados se destacam: gravidez na adolescência, mulheres na política e uma reportagem sobre as professoras que foram eleitas para cargos do legislativo, que inclui, também, entrevista com a única mulher eleita para cargo de governadora em 2018, a professora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte.

Isis Tavares ressalta a importância de termos professoras em cargos políticos: “É uma categoria profissional que foi eleita pelo governo Bolsonaro como grande inimiga do país, acusada de desvirtuar os valores da família e de doutrinar crianças e adolescentes. O fato de nós termos eleitos mulheres professoras é algo concreto e muito importante, que não deixa de ser a nossa resistência a esse congresso extremamente adverso.”

A argentina Yamile Socolovsky abordou, em artigo da Mátria, a delicada questão da legalização do aborto. Para Isis Tavares, tratar desse tema é resistência: “As mulheres e meninas ainda morrem durante o aborto e em consequência de abortos mal feitos. Em pleno século XXI isso é um tabu em muitos lugares no mundo e aqui no Brasil insiste-se em criminalizar essas mulheres”, ressalta. Outra questão apontada por Ísis é ausência de debate sobre a responsabilidade dos homens: “Existem mulheres de crianças sem o nome do pai na certidão de nascimento. Ainda há uma carga religiosa e emocional muito grande sobre as mulheres - ficou grávida tem que ter o filho, caso contrário elas são consideradas sem coração”.

A Revista Mátria é distribuída gratuitamente em sindicatos, escolas e bibliotecas de todo país. Acesse a versão digital (em PDF)no site da CNTE e leia todas as matérias na íntegra.

Mobilizações

A CNTE convida todos para participarem da Mobilização Nacional em Defesa da Mulher neste dia 8 de março. É um chamado para protestar contra o machismo e a Proposta de Emenda Constitucional de Reforma da Previdência do governo Bolsonaro, que prejudica sobretudo as mulheres. Para fortalecer a defesa da democracia e da educação, a Confederação sugere que as entidades filiadas organizem atividades como roda de conversas, oficinas, debates e outras ações em seus estados.