2019 07 08 Giro Paraná

Nesta segunda-feira (08/07), a comissão de negociação do Fórum das Entidades Sindicais (FES) participou de uma reunião com representantes do governo estadual para cobrar uma nova proposta de reposição da data-base. A reunião foi realizada no Palácio Iguaçu.

Durante a reunião, foi cobrado também a retirada do Projeto de Lei Complementar 04/2019 (PLC04) que congela direitos dos servidores e a retirada da PL 522, que autoriza a reposição salarial de 0,5% a partir de outubro.

Segundo a coordenadora do FES, Marlei Fernandes, a comissão aceitou as demandas e marcou uma nova reunião com os representantes dos sindicatos, para definir uma proposta. "Não chegamos ainda em um meio termo. Os servidores continuam reivindicando os 4,94% e o governo diz que tem uma proposta alternativa ", destaca Fernandes.

Após a reunião, o governo se comprometeu a sentar novamente com os sindicatos ainda nesta segunda-feira a partir das 16h para debater os números. Outra reunião foi agendada para esta terça-feira (09/07) para debater uma proposta, além da pauta específica da educação.

"A nossa greve continua e precisamos estar em Curitiba na tenda e o interior construir as caravanas para chegar em Curitiba no grande ato", enfatiza a Fernandes que reafirma a necessidade de mobilizar todo o funcionalismo público.
A greve chega ao 13º dia. Após a proposta do governo apresentada à imprensa, o movimento ganhou força com adesão de mais categorias. Segundo levantamento da APP-Sindicato, cerca de 70% da categoria participa do movimento neste início de semana.

Ato Estadual Unificado

Os(as) servidores(as) públicos estaduais em greve vão realizar nesta terça-feira (09/07) mais um ato unificado em Curitiba para cobrar do governador Ratinho Junior (PSD) o pagamento reposição salarial. A concentração terá início às 9h na Praça 19 de Dezembro, região central da cidade. Na sequência, os(as) trabalhadores(as) vão em caminhada até o Palácio Iguaçu, sede do governo.

“A nossa greve está crescendo a cada dia. Os servidores estão indignados com a forma como o governador tem nos tratado e precarizado os serviços públicos. Dia nove voltaremos às ruas para exigir o que é nosso por direito e, mais uma vez, defender serviço público de qualidade para todo o povo paranaense”, comenta o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão.

Em greve desde 25 de junho, professores(as) e funcionários(as) de escolas e universidades, servidores(as) da saúde, segurança pública, meio ambiente e agricultura já realizaram uma manifestação no dia 1º, também na capital. Segundo o Fórum das Entidades Sindicais (FES), mais de 15 mil vieram de todas as regiões do estado.


(APP-Sindicato/PR, 08/07/2019)

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS: