banner site cnte 2019 banners giro pelos estados

Os profissionais da educação da rede estadual de Mato Grosso, em greve há 51 dias, permanecem acampados na frente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) nessa terça-feira (16/07), e acompanham as sessões plenárias. O objetivo é que os deputados assumam o compromisso de trancar pauta, suspendendo todas as votações, enquanto o governador Mauro Mendes se recursar a negociar com a categoria, a proposta construída pelo legislativo para o fim do movimento paredista.

Durante toda a tarde comissões de dirigentes sindicais, entre eles o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Valdeir Pereira, visitaram os gabinetes dos deputados reforçando os encaminhamentos e tentando ampliar o apoio e mediação ao maior número possível de parlamentares. O documento elaborado pela ALMT, contou com apoio de 18 deputados, sendo de oposição ao governo, independentes e alguns da base governista, como é o caso da deputada Janaina Riva.

Do lado de fora, enquanto aguardam o posicionamento do executivo, os trabalhadores da educação, mesmo os que não integram a ocupação da ALMT, bombardeiam as redes sociais dos deputados e deputada com mensagem de cobrança.

Os encaminhamentos obtiveram resultados com respostas. A deputada Janaína Riva informou em uma das mensagens que “a pauta já está trancada para votar os vetos. Meu posicionamento continua o mesmo, estou em defesa de vocês mas como já disse anteriormente, a decisão final é do Poder Executivo”, escreveu.

O deputado João Batista, ex-sindicalista, se manifestou em um áudio, respondendo a todos e todas que enviaram mensagens dizendo que sua posição favorável ao veto não seria diferente e que, até mesmo muitos parlamentares da base aliada, estavam apoiando os educadores fazendo o trancamento da pauta.

 (Sintep-MT, 17/07/2019)

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS: