2020 05 20 giro sintepMT

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) reafirmou durante reunião online da comissão especial que trata sobre volta às aulas na rede pública de Mato Grosso, nesta segunda-feira (18.05) sua posição diante de três pontos fundamentais. O retorno das aulas, baseado em parâmetros sanitários: a preocupação quanto a falta de acesso dos estudantes aos conteúdos escolares, remotos. E a necessidade urgente de medidas de assistência aos profissionais interinos da educação, desempregados pelo governo Mauro Mendes.

Para o presidente do Sintep/MT, Valdeir Pereira, o retorno as aulas será uma tarefa gigantesca, mas os pontos questionados antecedem a ela. “O governo está fugindo de medidas para atender os trabalhadores da educação que estão desassistidos, uma situação que tende a se agravar pela perspectiva de mais dois meses de isolamento sem salários”, destacou.

Valdeir deu como acertada a ação do Ministério Público Estadual, quando atuou cancelando a volta às aulas naqueles municípios que anunciavam a retomada das atividades em meio a pandemia. O presidente lembrou que um dos desafios na retomada das aulas na rede pública está em assegurar espaços adequados para receber os estudantes e profissionais. “A falta de condições físicas dos prédios deverá estar no debate”, disse.

Conforme o dirigente, não será apenas o uso de álcool gel e máscara que garantirá a proteção da comunidade escolar. “Tanto que essa oferta não foi suficiente para que os pais e responsáveis mandassem os filhos para a escolas nessas localidades que decidiram promover o retorno antecipado”, conclui.

(Sintep-MT, 19/05/2020)