2020 06 22 giro sindeducacao

Diante de movimentação realizada pela Secretaria de Educação – SEMED, que orientou as direções das escolas a convocarem os professores para reuniões virtuais, o Sindeducação reiterou pedido de reunião para discutir Calendário Escolar referente ao Ano Letivo de 2020 e o retorno às aulas. O sindicato também solicitou uma reunião com o Conselho Municipal de Educação – CME, para debater a mesma pauta e encaminhar o posicionamento da entidade sindical a respeito da possibilidade de retomada das aulas.

Nesta quarta-feira, as dirigentes sindicais Izabel Cristina e Gleise Sales, protocolaram os documentos, que tratam as pautas em caráter de urgência, tendo em vista que desde o mês de abril a entidade busca dialogar com a SEMED para a construção de um “Plano de Ação Estratégico para a Educação Pública Pós-Pandemia”, que contemple, além da discussão de organização do Calendário Escolar, ações e materiais com os cuidados necessários à saúde dos educadores e alunos, visando a plena segurança sanitária, dentre outros aspectos.

Durante reunião realizada com o secretário de Educação, Moacir Feitosa, no dia 22 de abril, por videoconferência, o sindicato demonstrou preocupação com o pós isolamento social, e sugeriu ao secretário uma reunião online com a Secretaria de Saúde e Ministério Público para construir esse Plano de Ação Estratégico para a Educação Pública. Foi a única vez que o gestor aceitou reunir com a entidade ao longo de todo o período da pandemia.

A professora Izabel Cristina diz esperar que, pelo menos nesse momento, em que vidas estão sob risco, o prefeito Edvaldo Holanda Júnior tenha a sensibilidade de abrir o diálogo conosco, e determine que a SEMED o faça propositivamente. “O momento é propício para que esse plano seja construído com diversos atores (sindicato, poder executivo e ministério público), queremos participar, colaborar e ajudar a pensar e fazer esse plano se tornar realidade com responsabilidade e respeito à vida”, declarou a presidente.

DIRETRIZES – A decisão a ser tomada pela Prefeitura de São Luís terá que ser feita por meio de avaliação técnica, juntamente com o sindicato, para que assim se discuta os impactos causados no calendário letivo e quais as alternativas utilizadas para a retomada das aulas, dentro de um novo ritmo.

“Ao convocar professores para reunião virtual, a SEMED já incia o período pós pandemia de forma equivocada, sem dialogar com o sindicato que lhes representa, para estabelecer o planejamento proposto pelo Sindeducação”, frisa Izabel Cristina.

“No caso da Educação Infantil, em que o aluno ainda não tem grande autonomia e a presença em sala de aula é fator importante, a reorganização do calendário tem de levar em considerações todos os aspectos, inclusive as diferenças entre ensino infantil, médio e fundamental. Me parece conveniente, apesar da falta de estrutura das escolas, que o Município encontre alternativas, juntamente conosco, e nós temos saídas a propor”, finaliza.

EM TEMPO – Na tarde desta quinta-feira, 18, a SEMED encaminhou mensagem por e-mail ao Sindeducação, confirmando uma reunião virtual para o próximo dia 25. Se a secretaria não desmarcar até a data, será a segunda reunião em quatro meses de pandemia.

(Sindeducação, 22/06/2020)