2020 11 06 giro sinteal

“A gente vê logo quem é que está comprometido com a educação pública! E é quem está aqui”.

Esta frase, dita por uma trabalhadora da rede pública de educação de Maceió, mostrou bem a FALTA DE COMPROMISSO de 06 (seis) candidatos que NÃO compareceram, na manhã desta quinta-feira (05/11), ao ato público Dia “E” - Em Defesa da Educação Pública e pela Valorização das/os Trabalhadoras/es em Educação, realizado na Praça Deodoro (Centro de Maceió), onde assinariam a “Carta-Compromisso” elaborada pelo SINTEAL, SE comprometendo – publicamente – a trabalhar efetivamente em defesa da educação pública e pela valorização de seus trabalhadores e trabalhadoras. Os “prefeitáveis” que vergonhosamente FALTARAM ao compromisso de defender e luta pela educação pública e seus trabalhadores e trabalhadoras também deixaram de receber o Manifesto sobre a dura realidade da educação pública e das/os servidoras/es em Maceió, com 10 (dez) importantes reivindicações da categoria.

Segundo a presidenta do Sinteal, Consuelo Correia, “todos os candidatos e candidatos foram avisados e convocados com dias de antecedência para o Dia ‘E’, principalmente para assinar esta ‘Carta-Compromisso’ e falar sobre seus projetos para a educação pública de Maceió, que vive o caos, e seus milhares de trabalhadores e trabalhadoras, que, a cada dia, perdem direitos e acumulam perdas salariais. Esses candidatos que não compareceram ao nosso chamado, eles que fiquem avisados: foram todos reprovados pela educação e por seus trabalhadores e trabalhadoras!”.

O DIA “E”

A partir das 08hs da manhã, diretoras/es do SINTEAL, lideranças do Movimento da Educação e trabalhadoras/es da rede pública municipal armaram tenda na Praça Deodoro, no Centro de Maceió, para as atividades planejadas do Dia “E”: diálogo com a população, panfletagem (entrega do Manifesto das/os trabalhadoras/es da educação), num clima de expectativa quanto à presença dos/as candidatos/as a prefeito de Maceió, prevista para às 10h00.

Durante o protesto, chamava a atenção vários cartazes e faixas segurados pelas/os manifestantes, defendendo o SUS (e a sua melhoria), a implementação de políticas de saúde para os/as trabalhadores/as da educação (“Trabalhar sim; adoecer, não”, mostrava um dos cartazes), e outros que defendiam que “Volta às aulas só com as totais condições sanitárias”. Além desses, mais cartazes e faixas faziam a defesa das escolas públicas municipais e a valorização de seus trabalhadores e trabalhadoras, sem esquecer também a defesa dos precatórios do Fundef para os/as trabalhadores/as em educação.

A presidenta da Central Única dos Trabalhadores em Alagoas também esteve presente no Dia “E”, trazendo o apoio da entidade à luta da educação e das/os trabalhadoras/es.

“PREFEITÁVEIS”: PRESENTES E FALTOSOS

Já pelo meio da manhã, o Dia “E” teve, por fim, o seu momento de “aula de cidadania”, que denunciou quem, de fato, tem compromisso e quem NÃO tem compromisso (apenas um vazio “discurso eleitoreiro!) com a educação pública de Maceió e sua categoria.

Compareceram ao chamamento do SINTEAL e das/os trabalhadoras/es da educação as candidatas a prefeita de Maceió: Lenilda Luna (UP – Unidade Popular), Valéria Correia (PSOL), e os candidatos Ricardo Barbosa (PT) e Cícero Filho (PCdoB).

Elas/es assinaram a “Carta-Compromisso”, receberam o Manifesto da Educação e discursaram em defesa da educação e das/os trabalhadoras/es da rede pública de Maceió.

O “prefeitável” Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) não compareceu, mas enviou representante, que entregou uma cópia da “Carta-Compromisso” assinada pelo candidato, e falou em nome do mesmo.

OS REPROVADOS!

NÃO (!) compareceram ao ato público do Dia “E”, mesmo convidados antecipadamente pelo SINTEAL, os seguintes candidatos a prefeito de Maceió: CÍCERO ALMEIDA (DC – Democracia Cristã); CORINTHO CAMPELO (PMN); DAVI DAVINO FILHO (Progressistas); JHC (PSB) e JOSAN LEITE (Patriotas).

A diretora do SINTEAL e da CNTE, Girlene Lázaro, na presença das/os “prefeitáveis” realmente comprometidas/os com a Educação e seus trabalhadores e trabalhadoras, alertou para o fato de que “este é o momento! Pois é assim que se começa um mandato, seja de prefeito ou vereador. Na praça, nas ruas, conversando com as pessoas”.

O Dia “E” terminou por volta do meio-dia, debaixo de sol forte e muito calor, mas com a certeza do dever de luta realizado, e outra certeza: a de sabermos quem está comprometido com a educação, e também quem NÃO está!

(Sinteal, 06/11/2020)