2021 07 28 giro mt
Para o Sintep-MT, o retorno das aulas na modalidade presencial deve ocorrer de forma segura para trabalhadores, estudantes e seus familiares.

O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) alerta para o risco ainda maior de contaminação pela Covid-19, após o Instituto de Análises Clínicas (Inac), ter confirmado nesta terça-feira (27), a primeira infecção causada pela variante Delta, do novo coronavírus em Mato Grosso. A paciente, uma menina de 15 anos, conforme divulgação feita pelo laboratório, reside em Cuiabá.

O fato, segundo o presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, é um alerta sobre o risco maior de disseminação do vírus, uma vez que a variante Delta é, segundo os especialistas, mais contagiosa que as demais. “O ambiente escolar tem essa particularidade de concentrar um número maior de pessoas num ambiente fechado. Mesmo tomando os cuidados necessários, sabemos que o risco de contágio quando pessoas dividem os mesmos espaços, aumenta consideravelmente e, em se tratando do retorno presencial das aulas, temos que considerar não só o ambiente escolar, mas também o transporte público, que é o meio de locomoção utilizado pela grande maioria dos estudantes”, disse.

Além disso, o sindicalista destaca que “a preocupação dos trabalhadores da educação com a vida das pessoas é respaldada por dados do monitoramento da Covid-19 no estado”. O governo do estado determinou o retorno semipresencial na rede estadual de ensino já para o dia 3 de agosto, no entanto, o governo Mauro Mendes e o secretário de Educação Alan Porto, desconsideraram o último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, que mostra que o número de cidades de Mato Grosso classificadas com risco “muito alto” para o contágio do novo coronavírus subiu para 15 municípios.

Além de Cuiabá, Barra do Garças, Canarana, Chapada dos Guimarães, Figueirópolis d´Oeste, Guarantã do Norte, Indiavaí, Jangada, Luciara, Nova Ubiratã, Nova Xavantina, Novo São Joaquim, Primavera do Leste, Sapezal, Vale de São Domingos estão em alerta laranja.

Outro dado preocupante da Covid-19 em Mato Grosso, é o fato de o estado figurar em primeiro lugar na lista dos que registram mais mortes a cada 100 mil habitantes (357,2). Para o Sintep-MT, o retorno das aulas na modalidade presencial deve ocorrer de forma segura para trabalhadores, estudantes e seus familiares. “Nós não queremos recomeçar presencialmente, para daqui uma semana ou duas termos que parar novamente diante de uma explosão de casos de Covid. Queremos voltar da forma mais segura possível, com responsabilidade e colocando sempre a vida em primeiro lugar”, disse Valdeir.

Confira ranking de estados com mais mortes a cada 100 mil habitantes, segundo os dados do Ministério da Saúde:

1. MT - 357.2

2. RO - 356.5

3. RJ - 338.6

4. AM - 325.5

5. MS - 318.6

6. DF - 317.3

7. RR - 302.1

8. PR - 301.8

9. SP - 298.9

10. ES - 294.3

11. GO - 291.7

12. RS - 290.6

13. SE - 256.5

14. CE - 256.0

15. SC - 248.7

16. MG - 235.6

17. AP - 224.3

18. PB - 222.6

19. TO - 220.7

20. PI - 208.0

21. AC - 203.8

22. RN - 201.2

23. PE - 194.9

24. PA - 185.6

25. AL - 172.2

26. BA - 171.7

27. MA - 135.2

 

Fonte: Assessoria/Sintep-MT.