2022 11 08 giro mt

O Presidente da entidade manifesta apoio aos educadores e convoca os pais a participarem das atividades das escolas evitando a divulgação de calúnias

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) repudia mais um ataque a educadores em Mato Grosso, e manifesta apoio às vítimas de calúnias nas redes sociais, dentro do exercício profissional. Desta vez, a ocorrência se deu no município de Água Boa. O conteúdo curricular da aula de história de uma das salas do 9º ano, da Escola Estadual Antônio Gröhs, foi adulterado e disparado em redes sociais, acusando a professora e o diretor da unidade de campanha eleitoral, às vésperas do 2º turno das eleições no país.

Segundo o Sintep-MT, esse é o segundo registro grave, com ameaças e ataques individuais caluniosos à índole dos profissionais e pessoal de educadores, motivados por distorções nos conteúdos curriculares. No caso de Água Boa, se trata de uma versão insana sobre conteúdo da disciplina de História e o pior, recomendados pelo próprio governo federal, via Ministério da Educação, Lei de Diretrizes e Base da Educação, e adotados pela Secretaria de Estado de Educação.

A polêmica surgiu após uma aula regular da professora de História, Adalgisa Aparecida Santos, tratando sobre a redemocratização do país. Um vídeo, que reforça o conteúdo disciplinar, apresentou os vários presidentes que atuaram no período de redemocratização, entre eles, o ex-presidente, agora reeleito, Luiz Inácio Lula da Silva. O trecho que cita o ex-presidente Lula foi cortado e reproduzido nas redes sociais, acusando a professora e o diretor da escola, Alceu Busanello, de estarem fazendo campanha eleitoral.

>> Leia a matéria completa no site do Sintep/MT 

(Sintep/MT, 7/11/2022)