No dia 13 de março, trabalhadores em educação vão participar de manifestações organizadas pela Central Única dos Trabalhadores em todas as capitais do país, em defesa da Petrobras e pelo combate à corrupção com punição aos responsáveis. A mobilização também será pela reforma política democrática, contra retirada de direitos e em defesa do Fundo Social do Pré-Sal e dos Royalties do Petróleo para financiar a educação pública.

Conforme decisão nacional do Conselho de Entidades da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), a diretoria da ACP convida todos os professores de Campo Grande para o Dia Nacional de Lutas que acontece nesta sexta-feira (13), as 9h, na praça do Rádio Clube. O protesto contará com a participação dos professores de MS e mais 15 entidades e centrais sindicais.

“Os trabalhadores sempre realizou lutas quando qualquer ação estranha prejudica o caminhar da educação, os direitos trabalhistas. É importante que o trabalhador participe desse ato, que é uma decisão nacional, demonstrando nossa preocupação em discutir assuntos do interesse da classe trabalhadora”, pontua Geraldo Alves Gonçalves, presidente da ACP

O presidente da CNTE, Roberto Franklin de Leão, destacou o manifesto aprovado no Conselho Nacional de Entidades da CNTE , que pede a apuração e responsabilização de todos os atos de corrupção, reforçando que a Petrobras é um patrimônio do povo brasileiro: “Precisa ser preservada e não pode ser colocada em risco nas mãos da iniciativa privada, o que geraria um grande prejuízo para a sociedade. Defendemos os interesses dos trabalhadores, somos contra qualquer tipo de golpe que venha atentar contra a democracia e defendemos o respeito ao resultado das eleições, que apontou a manutenção do modelo de inclusão social e melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro”.

(A Crítica/MS - 12/03/2015)