banners mocao de apoio 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, torna público o seu mais irrestrito APOIO aos/às trabalhadores/as em educação dos municípios de Ponta Porã e de Corumbá, no Estado de Mato Grosso do Sul.

Os/as trabalhadores/as desses dois municípios de Mato Grosso do Sul estão em greve em decorrência do descumprimento do reajuste do Piso Nacional previsto para este ano. Este reajuste consta da Lei Federal nº11.738/2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica.

Essa legislação é uma importante vitória da educação de nosso país nos últimos anos, que hoje encontra-se seriamente ameaçada com este governo golpista que se instalou no Palácio do Planalto. O clima de golpe no país gera um efeito dominó em todas as esferas da administração pública, que termina por contagiar várias gestões municipais no descumprimento de normas legais que assegurem direitos. Não seria diferente com essa importante lei que instituiu o nosso piso nacional.

Tanto a prefeitura de Ponta Porã quanto a de Corumbá recusam-se a negociar de forma adequada e honrosa com os/as trabalhadores/as da educação dos seus respectivos municípios, não lhes restando outra alternativa que não fosse a de deflagrar o movimento grevista. Diante disso, é forçoso que os gestores municipais de ambas as cidades primem pela valorização de seus profissionais em educação, em respeito às suas crianças e jovens. É fundamental a imediata abertura das negociações com os/as trabalhadores/as em greve, de modo a dirimir o atual conflito e avançar para tratativas à altura das expectativas da sociedade sul-mato-grossense.

Nesse sentido, os/as educadores/as de todo o Brasil solidarizam-se com os/as companheiros/as em greve dos municípios de Ponta Porã e de Corumbá, no Estado de Mato Grosso do Sul, aos seus Simted-Ponta Porã e Simted-Corumbá e também à FETEMS.

Brasília, 18 de maio de 2018
Diretoria Executiva da CNTE