banners mocao de repudio 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, REPUDIA de forma veemente a violência perpetrada pela Polícia Militar do Estado de Mato Grosso no despejo de mais de 400 famílias que ocupam uma área pública a elas destinadas, em acordo firmado desde 2015 entre a Prefeitura do município e o INCRA, enquanto aguardam o assentamento prometido.

A ação da Polícia, orquestrada em parceria com a Prefeitura Municipal de Jaciara, a quem caberia garantir o acordo firmado com o INCRA, foi articulada para acontecer justamente em dia de jogo da Seleção Brasileira, de forma sorrateira, para que as ações políticas e de resistência ao despejo encontrassem mais dificuldades. A gestão municipal de Jaciara age como se a ação truculenta da Polícia não fosse também de sua responsabilidade. De forma temerária e irresponsável, o prefeito do município é cúmplice de qualquer desdobramento que possa ali ocorrer, já que, além de descumprir o acordo para manter as famílias ali alojadas até o assentamento definitivo, ainda oferece todo o apoio logístico para a ação de despejo das famílias. A ele caberia uma interlocução com o Gabinete do Governador de Estado para arrefecer o ânimo de sua Polícia Militar, que usa e abusa de condutas condenáveis em ações dessa natureza, lançando mão até de ameaças de morte a militantes e lutadores sociais que ali se encontram. Chegaram ao absurdo de proibir o acesso de dirigentes sindicais, padres e vereadores à área do Acampamento Padre José Ten Cate.

O conjunto das mais de 400 famílias que ali se encontram em luta não arrefeceram o ânimo de manter a mobilização e denunciar os abusos da Polícia Militar e o descumprimento da palavra do gestor municipal. A quase dois anos e meio, essas famílias ali se encontram por absoluta falta de alternativa. Os acampamentos do Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra – MST existem por todo o Brasil em decorrência da pobreza e da alta concentração fundiária em nosso país, e, a exemplo desse de Mato Grosso, é instrumento da justa luta pela terra por amplos contingentes de nossa população. O Acampamento Padre José Ten Cate já produz alimentos para todas as famílias ali acampadas e já doou o excedente de sua produção para municípios vizinhos.

Os educadores/as brasileiros/as solidarizam-se com as famílias despejadas, apoiam a luta e a resistência desses/as trabalhadores/as e denunciam a ação sorrateira, desproporcional e truculenta da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso! Ademais, além de acompanhar os desdobramentos dessa ação, exige do Prefeito Municipal de Jaciara/MT uma postura em defesa do acordo de manter as famílias naquele local até o seu assentamento definitivo, conforme pactuado com o INCRA.

Brasília, 03 de julho de 2018