nota publica2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação – CNTE, representa em torno de 4 milhões de profissionais da educação básica do Brasil, possuindo 50 entidades filiadas em todo o país, dentre as quais o Sindicato Unificado dos Trabalhadores do Ceará – SINDIUTE/CE.

Enquanto entidade representativa da categoria, em assembleia democrática e representativa organizada por esse Sindicato, os/as professores/as do município de Fortaleza, após tentativas de negociação com a prefeitura, deflagrou greve em 12 de fevereiro/2016, com as reivindicações de reajuste de 11,36%, visando à garantia o cumprimento do piso nacional do magistério, e pelo repasse integral do FUNDEF para a educação.

A CNTE se solidariza aos professores municipais de Fortaleza, reafirmando a luta pelo piso nacional do magistério, apoiando integralmente a luta do SINDIUTE/CE em defesa dos direitos dos/as trabalhadores/as em educação por salários decente e condições de trabalho.

A educação precisa ser prioridade também dos governos municipais. Essa primazia passa pela valorização dos seus profissionais, que devem ser tratados com respeito e dignidade. A greve é o último recurso a que lançam mão na luta pelo engrandecimento da educação. Os professores/as municipais de Fortaleza merecem respeito. A CNTE apoia sua luta e a ela se soma em prol de uma educação pública com consciência de seu próprio valor e com a qualidade exigida pela população.

Brasília, 15 de fevereiro de 2016.

Roberto Franklin de Leão

Presidente da CNTE