banners nota publica 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais da educação básica pública brasileira, vem a público denunciar o incremento do estado de exceção no Brasil, com o aumento vertiginoso da violência, do autoritarismo e do fascismo no país.

Os ataques sofridos pela caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Sul do Brasil, promovido por grupos organizados de extrema direita, escancara a escalada de violência em nosso país. A emboscada a que foi submetida a caravana nesses últimos dias, com direito a tiros nos ônibus que transportavam assessores e o pessoal de imprensa que o acompanham, demonstra que a direita brasileira partiu para a pior estratégia: intimidações e assassinatos agora são as armas utilizadas por esse segmento social que não aceita a democracia.

Cansados de perder eleições sucessivas, a direita brasileira, ou parte expressiva dela, parte agora para estratégias que revelam todo o seu apreço pelo golpismo e bandidagem política. Antes circunscritas às áreas periféricas e rurais de nosso país, essas ações acontecem, hoje, nos grandes centros urbanos. A morte de uma vereadora eleita na segunda maior cidade do país não arrefeceu o ânimo desses criminosos. E isso é forçoso reconhecer: não é disputa política de projetos, isso é gangsterismo do mais baixo. Práticas terroristas estão sendo aplicadas por esse setor raivoso da sociedade brasileira. Não podemos tolerar ou naturalizar esse tipo de conduta.

É certo que o ódio cultivado por anos a fio contra um ex-presidente da República e um partido político fomentou o que acabou por descambar para essas ações violentas dos dias de hoje no Brasil. E o mais grave é a naturalização dessa violência por parte de representantes políticos, a exemplo do governador de São Paulo e do prefeito da capital, que emitiram declarações justificando esse tipo de violência estarrecedora! Deveriam ser expulsos da vida pública por absoluta falta de decoro e, sobretudo, humanidade.

Essa direita facínora não percebe que ações desse tipo só fomentam a radicalização da sociedade e dos grupos políticos. Os/as educadores/as brasileiros/as repudiam de forma veemente os ataques sofridos pela caravana do ex-presidente Lula. A denúncia ganha mais repercussão, especialmente internacional, em função da omissão das forças de segurança estaduais e federal. Notícias dão conta de que essas ações de violência estão se dando sob a cumplicidade e complacência das polícias militares estaduais.

Abaixo todo tipo de fascismo! Por um Estado verdadeiramente democrático e de direito!


Brasília, 28 de março de 2018

Diretoria Executiva da CNTE