banners nota publica 2

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa dos profissionais do setor público da educação básica brasileira, vem a público prestar seu apoio e solidariedade à professora e pedagoga Malvina Tuttman, ex-reitora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO.

A professora Malvina Tuttman é uma pedagoga das mais notáveis que nosso país já produziu. Especialista em assuntos de avaliação e planejamento educacional, é uma referência nos debates acerca das questões curriculares da educação. Com vasta experiência nas atividades do magistério superior e na gestão pública, Malvina Tuttman já assumiu a reitoria da UNIRIO, a presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP e é, atualmente, conselheira do Conselho Nacional de Educação – CNE, onde tem assento na Câmara de Educação Básica. Toda essa vasta experiência na gestão pública da educação, e também como uma das mais proeminentes estudiosas em educação do Brasil, deu a Malvina reconhecimento nacional e internacional. Em todas essas suas passagens pelo governo, a CNTE é testemunha de sua postura sempre ética e democrática quando a tínhamos como interlocutora, especialmente quando presidiu o INEP e, agora, quando assumiu as atribuições de conselheira do CNE.

E justamente em decorrência de seus posicionamentos assumidos no âmbito do CNE, contrários à proposta da BNCC do governo, a professora foi novamente incluída em um procedimento disciplinar, em um claro ato de perseguição política, cada vez mais comum nos dias que se seguem em nosso país. O despacho proferido pelo ministro deixou a todos estupefatos e indignados, já que, em uma primeira tentativa, a comissão de averiguação do MEC decidiu, em seu Relatório Final, não indiciar a professora ante a inexistência sequer de algum indício de ato ilícito de natureza administrativa.

É claro que a professora Malvina Tuttman irá recorrer. É claro também que as entidades acadêmico-científicas e as sindicais do campo da educação irão denunciar essa perseguição atroz contra uma das maiores lutadoras da educação pública brasileira. A lembrança do caso do reitor Cancellier e dos abusos cometidos na UFMG nos impele a denunciar todo tipo de perseguição.

Os/as educadores/as brasileiros/as estão atentos/as aos desdobramentos dessa perseguição perpetrada contra a professora Malvina Tuttman e, em conjunto com outras entidades, irão denunciar o abuso e o constrangimento a que estão submetendo uma pesquisadora de sua estatura moral e ética. Denunciaremos esse caso em todos os foros nacionais e internacionais a que temos assento e direito de fala. Todo apoio e solidariedade a Malvina Tuttman!

Brasília, 29 de agosto de 2018

Diretoria Executiva da CNTE