COLETIVO

2019 05 30 aposentados

Foto e Texto: Jordana Mercado | Teve início nesta quinta-feira (30), em Curitiba (PR), o Encontro do Coletivo de Aposentados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Participam da atividade 18 sindicatos afiliados à Confederação.

Diante de todo o cenário de retrocesso social, a entidade está empenhada na luta contra a Reforma da Previdência e, mesmo sendo este um grupo de trabalhadores que já se aposentou, o Coletivo de Aposentados(as) está comprometido com a defesa do direito à aposentadoria de toda classe trabalhadora.

Para a professora Fátima Silva, Secretária Geral da CNTE e Vice-Presidenta da Internacional da Educação para América Latina (IEAL), este momento é decisivo para o futuro da sociedade e os aposentados e as aposentadas têm um papel fundamental. “A educação está sob ataque deste desgoverno. Os cortes no orçamento, a perseguição aos professores e a tentativa de aprovar essa reforma da previdência nefasta exigem de nós muita resistência. Nossos aposentados combateram a ditadura militar e estão preparados para mobilizar a sociedade, e fazer o debate que demonstre a verdade dos fatos que o governo tenta esconder”, disse.

A Doutora em Políticas Públicas e Gestão da Educação Básica e ex-Presidenta da CNTE, Juçara Dutra Vieira, fez a análise de conjuntura educacional e falou sobre o papel dos aposentados nos sindicatos. “A luta pela democracia é a luta das camadas populares. Queremos a democracia adjetivada pelo recorte dos direitos humanos e da sabedoria dos povos”, disse. Ela lembrou que a educação e a cultura são agentes transformadores e, por isso, professores, estudantes e artistas são perseguidos. “Temos que manter a perspectiva de soluções coletivas pois não há salvação individual”, falou se referindo à necessidade de romper com esse sistema que está afetando a vida dos brasileiros.
A segunda mesa do dia foi sobre as consequências da Reforma da Previdência para os aposentados/as. A professora Selene Michielin, Secretária de Aposentados e Assuntos Previdenciários da CNTE e coordenadora do coletivo, fez uma análise sobre o projeto de desmonte total da proteção social que a Reforma proposta pelo governo busca implantar. “O acúmulo de capital não protege nenhum cidadão. A Reforma não representa uma mudança conjuntural e sim estrutural, são direitos que não serão mais recuperados. Mulheres e aposentados em geral, constantemente são forçados a desempenhar um papel que deveria ser do Estado, e a Reforma da Previdência vai perpetuar essa realidade”, alertou.

30M - A aula é na rua
As atividades do dia foram concluídas com a compreensão de que toda indignação dos trabalhadores e trabalhadoras, deve servir de combustível para manter a luta e a resistência muito ativas. Nesse sentido, os participantes do Encontro se somaram aos estudantes e trabalhadores do 2° grande Ato Nacional em Defesa da Educação Pública e contra a Reforma da Previdência, tomando as ruas de Curitiba e de todo o Brasil.

2019 05 30 aposentados 02

2019 05 30 aposentados02

NOTÍCIAS RELACIONADAS: