CAMPANHA

 

2022 05 26 brigadas digitais

A missão de combater a enxurrada de mentiras ditas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que já fez 5.541 declarações falsas ou distorcidas em 1.239 dias, segundo o site Aos Fatos, todas disseminadas por sua tropa de choque formada por bolsonaristas com ou sem mandato, requer preparação, organização e foco.

Para combater essa ameaça à democracia e à liberdade, é preciso informação de qualidade e estratégias bem definidas. Para isso será realizado o Curso de Formação de Organizadores das Brigadas Digitais da CUT a partir do dia 2 de junho, voltado a dirigentes e militantes sindicais da CUT (veja detalhes ao final da matéria)

As inscrições para a turma se encerram nesta sexta-feira (27). O curso vai preparar os formadores e formadoras que ficarão responsáveis por orientar os demais brigadistas a como atuar nas redes sociais com a missão de dialogar com a população

Esta é mais uma etapa do projeto Brigadas Digitais da CUT. A secretária de Formação da CUT, Rosane Bertotti, destaca que o projeto corre em três frente paralelas. Uma de organização das brigadas, outra de mobilização e a última de formação dos organizadores.

“As turmas se caracterizam por ser um processo de formação política que destaca a importância da comunicação na luta da organização da classe trabalhadora. E isso se dá junto ao ato de compartilhar conhecimento de técnicas de comunicação digital, de como a gente pode avançar nessa tarefa de dialogar com a população, que é muito importante no período em que estamos”, diz Rosane.

Ela se refere ao período eleitoral em que as disputas de mentes e corações na sociedade se acirram ainda mais e as mentiras se espalham numa velocidade enorme. “É o período em que as mentiras virão em maior intensidade e temos que conscientizar o trabalhadores e trabalhadoras de que, além de combater a mentira, temos que eleger um governo que tire o pais da crise em que está”, diz.

Em outras palavras, “derrotar Bolsonaro e o bolsonarismo e eleger governantes que tenham a classe trabalhadora como prioridade”. E essa guerra tem nas redes sociais seu maior campo de batalha.

Regra para a vida

“Precisamos ter as brigadas como rotina, como regra, criar a cultura diária de informar e desconstruir as mentiras espalhadas pelas redes sociais. É como almoçar, jantar, tem que ter um horário reservado para isso e basta se comunicar”, diz Roni Barbosa, secretário de Comunicação da CUT Nacional.

Ele reforça que o trabalho feito pelas brigadas é honesto porque é humano, não usa robôs. “Bolsonaro criou em 24 horas, 30 mil robôs em redes para segui-lo. Nós somos pessoas, humanos e esse é o bem mais valioso que temos”, diz Roni.

A quem se destina

O curso é destinado a dirigentes e militantes sindicais da CUT e de movimentos sociais com disciplina e disponibilidade para atuar como organizador ou organizadora das Brigadas em seu estado ou ramo, com conhecimentos e habilidades em redes sociais e comunicação digital.

Ao todo são 40 vagas por CUT estadual ou Ramo da Central. O curso está dividido em:

-06 encontros virtuais com uma aula inaugural;

-04 encontros virtuais de 2h30s cada para orientação político-pedagógica e exercícios práticos de redes;

-01 encontro final.

Para conseguir acompanhar o curso, será fundamental que as inscritas e os inscritos tenham acesso à internet utilizando computador ou notebook, com microfone e caixas de som ou fones de ouvido, e um telefone celular. A utilização dos dois equipamentos será importante para o desenvolvimento das atividades práticas.

Para se inscrever, acesse o site brigadasdigitais.com.br ou clique aqui 

(CUT Brasil, André Accarini com edição de Marize Muniz, 26/05/2022)